As primeiras do dia

O candidato Bolsonaro deixou no ar a ameaça: o estado governado por adversário seu receberá um tratamento diferente do estado governado por quem o apoiou. Ou seja, o capitão Bolsonaro, se eleito, não seria o presidente de todos os brasileiros e sim dos brasileiros que sufragaram seu nome.

**

Ao mesmo tempo, o filho dele vai às redes sociais chamar Fernando Hadad de “vagabundo” e “pau mandado do cachaceiro corrupto preso”. O pai vê a postagem do filho e, estufando o peito de orgulho, repassa para seus seguidores na internet.

**

Enquanto isso, estudante do Paraná que se atreveu a ir à aula com um boné do MST na cabeça, foi brutalmente agredido a garrafadas e chegou ao hospital esvaindo-se em sangue.

**

Aí o todo convencido Bolsonaro canta de galo e, achando-se eleito, anuncia parte do seu Ministério. A metade é de gente fardada, a outra de direitista. Chama atenção o nome escolhido para a pasta da Agricultura: o presidente da União Democrática Ruralista.

**

E  do Nordeste, ninguém sequer é lembrado.

**

O governador Ricardo Coutinho diz em reunião que contra o obscurantismo votaria até em Alckmin.

**

Alckmin chamou Dória de traidor.

**

Os tucanos estão se matando.

**

O peneiro voou pra todo lado.

**

E aqueles que queriam tirar o prejuízo negociando apoios no segundo turno?

**

Tem gente pegando a mala, entrando na rural e descendo o morro.

**

É no que dá cantar vitória antes do tempo.

**

Mas a vida continua.

**

Aliás, só não continua pra quem já morreu.

**

Não pecarei por omissão. Jamais.

**

Por esse pecado, não irei para o inferno.

**

E  vou dormir de novo.

7 Comentário On As primeiras do dia

  • José Jangaban Ribeiro de Pádua Freire

    Só sei se o Bozo ganhar… estamos lascados!

  • Infelizmente estamos diante de uma tragédia anunciada, e tem muito louco dançando a beira do abismo!!!

  • Depois vem o choro Color era mesmo assim o caçador de marajás primeira pancada confiscar as poupanças.Mas o pior cego é o que não quer ver.

  • Se o Coiso ganhar,. adeus 13º salário

  • Voltar para CAPA do 247
    Facebook
    Twitter

    Pesquisa personalizada

    10.10.2018
    PAULO GUEDES É INVESTIGADO SOB SUSPEITA DE FRAUDE
    André Valentim/Divulgação

    O Ministério Público Federal (MPF) acusa o economista Paulo Guedes, guru de Jair Bolsonaro (PSL), de se associar a executivos para praticar fraudes em negócios com fundos de pensão de estatais; em seis anos, ele captou R$ 1 bilhão em operações suspeitas; um procedimento investigativo criminal ainda apura se o economista cometeu os crimes de gestão fraudulenta ou temerária; Guedes também é investigado por possível emissão de títulos sem lastros para negociar recursos de sete fundos

    10 DE OUTUBRO DE 2018 ÀS 05:50 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

    247 – O Ministério Público Federal (MPF) acusa o economista Paulo Guedes, guru de Jair Bolsonaro (PSL), de se associar a executivos para praticar fraudes em negócios com fundos de pensão de estatais. Em seis anos, ele captou R$ 1 bilhão em operações suspeitas. Um procedimento investigativo criminal ainda apura se o economista cometeu os crimes de gestão fraudulenta ou temerária. Guedes também é investigado por possível emissão de títulos sem lastros e negociar, através dessa operação fraudulenta, recursos de sete fundos.

    A reportagem do jornal Folha de S. Paulo nomeia as entidades supostamente fraudadas por Paulo Guedes: “entre as entidades estão Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras), Funcef (Caixa) e Postalis (Correios), além do BNDESPar —braço de investimentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). As transações foram feitas a partir de 2009 com executivos indicados pelos dois partidos adversários da chapa Bolsonaro, os quais são investigados atualmente por desvio de recursos dos fundos”.

    A matéria destaca que “para o MPF, há “‘relevantes indícios de que, entre fevereiro de 2009 e junho de 2013, diretores/gestores dos fundos de pensão e da sociedade por ações BNDESPar’ se consorciaram ‘com o empresário Paulo Roberto Nunes Guedes, controlador do Grupo HSM’. A intenção seria a de cometer ‘crimes de gestão fraudulenta ou temerária de instituições financeiras e emissão e negociação de títulos imobiliários sem lastros ou garantias’.”

  • Bolsonaro presidente dessa porra e acabou a farra, petralhada sebosa!

  • luciano vieira da silva

    Bolsonaro nuncaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!È 13 e viva a democracia,não se governa com odio esse é o novo Collor que com onda de caçador de mararajás iludiu o povo confiscando as poupanças e muita gente morreu por verem suas minguadas economias irem pelo ralo,tenho dito!

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

Mais comentadas