Geral

  Para meu amado sobrinho, Léo Johnson, escrevi o poema abaixo, que consta na página 136 de meu livro “Jardim de amores”. Era o sobrinho que parecia comigo.... Ler mais

Os pais não nasceram para sepultar os filhos, mas quem pode contrariar o destino? Se fosse dado a Johnsom a oportunidade de escolher, com certeza ele se daria para ir embora no lugar de... Ler mais

Já contei pra vocês que estou com um livro já editado, no qual conto minha vida profissional e pessoal desde a minha chegada aqui em João Pessoa no distante 75. Nele... Ler mais