Deu no Blog do Gordinho: Vereador denuncia que ‘funcionárias superpoderosas’ coagem secretários na PMJP; ex-auxiliar “confirma” tese

O vereador Bruno Farias (PPS) usou a tribuna da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) nesta terça-feira (4) para fazer uma denúncia. De acordo com o parlamentar, duas funcionárias “superpoderosas” mandam e desmandam em secretarias da Prefeitura da Capital, inclusive, com articulações que assemelham a coações, onde uma delas gerou a saída do ex-secretário da Receita Municipal, Adenilson Oliveira. Elas já são envolvidas em outras polêmicas, uma delas sobre o alto salário que recebem, cerca de R$ 18 mil, vencimento maior que secretários e vereadores do município.

Conforme Farias, as funcionárias seriam Aline Alves do Carmo e Ivila Haianny de Medeiros Batista. Elas eram funcionárias de uma consultoria que o prefeito Luciano Cartaxo (PV) contratou para enxugamento e ‘raio-X’ da folha no começo da gestão. O contrato com a empresa foi rompido e o gestor as contratou. “Foram contratada a peso de ouro, tanto que ganham mais que secretários. O prefeito atribuiu superpoderes a elas, acima inclusive dos ordenadores de despesas, secretário e diretores da Prefeitura. A palavras delas, é palavra de rei”, disse Bruno Farias ao Blog do Gordinho. O vereador, aliás, revelou uma discussão com as duas, no tempo que era secretário de Turismo da Capital.

O apelido “superpoderosas” circula nos bastidores do Centro Administrativo e da Câmara Municipal. “Mandam mais que alguns secretários”, disparou Bruno Farias. “Muitos devem prestar vassalagem a elas”, destacou.

Saída do secretário

Sobre o caso do ex-secretário de Receita, Farias explica que Adenilson foi capacitado pela Prefeitura para ficar à frente da gestão dos recursos de R$ 100 milhões de dólares advindos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Com isso, seria criada uma coordenadoria do BID, “uma coordenação com status de secretaria”, e que ele ficaria no comando. A partir disto, a substituição por Max Bichara na secretaria já era esperada.

“Entre a saída de Adenilson e ascensão no cargo de coordenador do BID houve um desencontro. Ele foi quem formou a equipe, montou todos os quadros e, de repente, por uma canetada das superpoderosas, a equipe foi totalmente desfigurada, com pessoas que Adenilson não tinha relação ou vínculo de confiança, e pessoas que não foram capacitadas por ele. Por razão dessa intromissão indevida o ex-secretário não se sentiu a vontade de não assumir a coordenadoria”, explicou Bruno Farias.

O vereador contou que comentários nos bastidores deram cont que muitos auxiliares ficaram solidários a Adenilson, queriam até entregar suas pastas. “Porque eles não suportam Ivila e Aline. Elas não pisam no chão, se sentem acima do bem e do mal, e sem a responsabilidade de responderem por seus atos de maneira administrativa e jurídica”, comentou. O que, para ele, depõe contra o princípio da autoridade.

Farias rechaçou que sejam as funcionárias sejam algum tipo de “testa de ferro” do prefeito para ações “negativas” para com as pastas e seus aliados, mas reafirmou que elas agem com aval do prefeito. Entretanto, também foi enigmático. “Quem cala, consente”, pontuou.

O ex-secretário Adenilson Oliveira foi procurador pela reportagem, mas preferiu não comentar sobre o caso. Na ligação ele apenas confirmou sua saída da pasta, mas não comentou motivos e nem teceu declarações sobre as “superpoderosas”.

A reportagem do Blog do Gordinho também entrou em contato com o secretário de Comunicação Institucional, Josival Pereira, que durante a ligação se negou a comentar sobre o caso

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles