O Estado de São Paulo traz uma noticia hoje que explica duas coisas: o sorriso largo que enfeita a cara do senador Zé Maranhão desde a virada do ano e o semblante angustiado que o prefeito Luciano Cartaxo tem levado ao distinto público nas suas últimas aparições.

Segundo o Estadão, o senador Zé Maranhão, de 84 anos, está negociando uma aliança com o também senador Cássio Cunha Lima para as eleições deste ano.

Pela aliança, Maranhão será candidato a governador e terá como vice o jovem deputado Pedro Cunha Lima, filho de Cássio.

Confira a matéria:

Quanto ao senador Cássio, concorrerá a sua reeleição, com o apoio de Maranhão e do PMDB.

 




Comentários realizados

  • 07/01/2018 às 21:25

    Welligton

    Acredito que Maranhão, será o candidato de Ricardo.

  • 06/01/2018 às 13:23

    Cavalcanti

    No Brasil é assim, o sujeito é cassado por corrupção, volta se candidata e uma legião de analfabetos o elege e lá vai ele satisfeito da vida voltando a ser chamado de excelência pronto para uma nova safadeza onde ele é professor

  • 06/01/2018 às 09:55

    Jose Paiva Cartaxo

    Não voto em nenhum golpista e quem se alinha com o PSDB também está dizendo para que que ser eleito, afundar a Paraíba e acabar com o progresso de nosso estado, que vai muito bem, espero que o Sr. Prefeito Luciano Cartaxo abra os olhos e procure aliar-se com gente que procura o progresso do Estado, se o seu partido não deixar que saia do mesmo posto que o partido ao qual está filiado é propriedade do Gordinho de Campina assecla e pau mandado de CCL. Abra os olhos e os ouvidos Prefeito Luciano, se for para prejudicar o seu mandato na Prefeitura não se candidate e apoie uma chapa decente, honrada e progressista.

  • 05/01/2018 às 00:46

    Christiano Almeida

    Apoiar Raimundo Lira, este crápula? Que tal Luiz Couto, mulher?

  • 04/01/2018 às 16:14

    RINALDO LIMA

    Com a dupla puxada de tapete de Maranhão e Cássio, Cartaxo fica sem rumo nem prumo, vai terminar se balanceando para o lado do governador que está de camarote assistindo a oposição se traindo uns aos outros. Porém, nós vimos aqui na PB, o governador Ricardo Coutinho numa eleição vencer Maranhão e em outra vencer Cássio, mas não vimos ainda ele vencer os dois numa eleição só, seria o triunfo maior do que o Mago poderia imaginar.

  • 04/01/2018 às 16:09

    Jaime pereira

    Ainda acredito Zé Maranhão. Governador e João Azevedo. Vice..Ricardo e Lyra senadores. M

  • 04/01/2018 às 11:28

    Angela

    As pretensões estarão frustadas se Ricardo Coutinho decidir sair candidato a senador, eleição garantida com certeza, e eleger Azevedo como governador, e apoiar o Lira para reeleição. Ricardo é hoje o politico mais bem avaliado em toda a Paraíba, e um dos melhores gestores do país. Eleger Azevedo governador não é tarefa díficil como esse pessoal golpista imagina. Pedro Cunha Lima foi, isso mesmo FOI, o deputado federal mais votado em 2014, mas isso foi ANTES do golpe. Não creio que, hoje, a carinha bonitinha dele consiga a mesma votação e leve tais votos para a chapa com o Maranhão. Cássio, assim como Aécio, ainda não se deu conta que " a fila" andou e que ambos afundarão junto com o Temer. Quanto ao Cartaxo, ele, finalmente, está sendo levado a encarar a realidade: a sua votação pós-Lagoa decresceu em 20% em apenas pouco mais de 12 meses. Se não se cuidar não conseguirá sequer ser eleito deputado federal. O acerto com o Manoel Junior pode sair caro para ele e seu futuro político. E cá entre nós, Ricardo eleito senador, Azevedo eleito governador, e em 2020 Estela ou o Limeira como prefeito será o bye-bye para muita gente, e o melhor para a Paraíba como um todo, e para João Pessoa como capital. A Paraíba merece continuar a crescer e não retrocesso.

  • 04/01/2018 às 10:04

    João Dehon Fonseca

    Maranhão continua sendo a melhor solução para a Paraíba.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*

Outras Notícias