O desabafo do neto do coronel
 
José Pereira Lima Neto é, como o nome diz, neto do lendário coronel e deputado José Pereira Lima, o homem que enfrentou, com seu povo, uma guerra contra o Estado da Paraíba. Pois é dele o desabafo a seguir. Desabafo de um neto que vê a memória do seu avô sucumbindo por conta da falta de sensibilidade de quem, feito ele, teria a obrigação de preservá-la. Leia:
Abandonado , desprezado , seu estado físico reflete a falta de respeito para com a história de  Princesa . O sobrado sem dúvida mereceria outras atenções pela dimensão de sua significação histórica . Nada , em absoluto ,  justifica tamanho desprezo e agressão ao povo de Princesa e a sua história. Ironicamente funciona hoje , em suas dependências a atual secretaria de cultura , esporte e lazer do município. Tenho absoluta convicção que o bravo povo de Princesa , repugna com veemência , a postura de indiferença e derrespeito , dos que sejam os responsáveis pela situação em que o mesmo se encontra , estando com boa parte de sua estrutura avariada ,  justamente , pela falta de cuidados  básicos com a sua conservação. Não pesará nas nossas consciências , minha e de papai , a responsabilidade pela sua deformação e ou desaparecimento . Háverei  de comunicar aos órgãos  competentes estaduais e ao instituto do patrimônio histórico do estado  , através de expedientes  especificos , a atual situação do sobrado . Tenham certeza disso. Não posso admitir tamanha displicência e irresponsabilidade , de quem quer que seja , com esta atitude  criminosa de indiferença  e atentado contra a história de Princesa , da Pariba e do Brasil.
 
Aloysio em Princesa
 
O deputado Aloysio Pereira está em Princesa passando os festejos juninos. Brincou o São João e só retorna à Capital depois do São Pedro de finado Pedro Fogueteiro.Em Princesa,o velho Aloysio não dá pra quem quer. É todo mundo procurando abraça-lo, beijá-lo e tirar foto ao seu lado. E ele gosta disso, sente de novo o cheiro da terra e até remoçar,remoça. 
 
Torou na emenda
 
 
A publicitária Danielle Cunha, de 29 anos, filha do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) está na Paraíba desde a última terça-feira, 21, a convite do deputado federal paraibano Hugo Motta, em cuja casa está hospedada para prestigiar os festejos juninos de Patos, cidade governada pela prefeita Francisca Motta, avó de Hugo. Apesar de todo o noticiário que a envolve como suposta beneficiária de recursos de propina recebida pelo pai, Danielle tem posado para fotos com amigas na cidade Morada do Sol e fez um sucesso danado com a galera local. Pense numa galega quentura!
Danielle já teria sido assessora de marketing de Motta e este é o segundo ano em que passa o São João em Patos. Ela é apontada pelas investigações coordenadas por Moro como uma das beneficiárias da conta em nome da offshore Kopek, aberta secretamente por Cunha na Suíça e alimentada com valores milionários pelo deputado. Segundo os investigadores, o dinheiro tem origem em propinas recebidas pelo parlamentar a partir do esquema de corrupção descoberto pela Polícia Federal na Petrobras.
 
Quando seu pai assumiu o comando da Câmara, a publicitária conquistou as contas de, pelo menos, três deputados aliados de Cunha, dentre os quais, Hugo Motta. Nesse período, esses três desembolsaram R$ 102,6 mil da cota parlamentar a que têm direito, um dinheiro público, para pagar a empresa Popsicle Digital Flavours, a qual Danielle é ligada.
 

 




Comentários realizados

  • 27/06/2016 às 20:45

    Jose pereira lima neto

    Caro Tião. VC nos conhece ,a mim e a papai . Sabe vc das nossas condutas ,o que nos basta ,para não perdermos o nosso tempo em dar respostas aos mal educados e mal informados. O nosso nível é outro.pela atenção, obrigado.

  • 27/06/2016 às 20:18

    Nivaldo Leite Dias

    Tião, de fato o palacete não é propriedade do Cel. José Pereira, ele apenas morou lá. Foi construído pelos Pessoa de Queiroz na década de 20. Depois os Pessoa de Queiroz doaram o palacete a Dona Luizinha, que era afilhada de um deles. Estive aí em Princesa, precisamente no cemitério em acompanhamento de um enterro de uma tia minha no mês de março. Fui com meus filhos até o túmulo do Cel. José Pereira e senti pena da situação em que o local se encontra. Era para ser melhor cuidado em função da personalidade ímpar de Princesa Isabel, que foi o Coronel José Pereira. Torço para que a família faça uma manutenção no referido local. Um abraço do conterrâneo de Lagoa da Cruz e admirador do Coronel.

    Resposta de Tião

    Rapaz, o cemitério como um todo está um lixo. Morada de gatos e de bebados sem teto, só falta Mané Pitito voltar do outro mundo.

  • 27/06/2016 às 14:14

    Clio da silva

    Ronco Fino falou foi grosso. O palacete nunca foi do Coronel, nem foi feito por ele, portanto não representa Zé Pereira como as outras coisas citadas pelo Ronco Fino. Quando o Dr Aloísio se for, nenhum desses parentes cuidarão da memoria do coronel. Só vão cuidar do dinheiro ganho usando o nome dele. O neto Zé nunca gastou um real nisso. Vai enterrar o pai em João Pessoa pra num gastar recuperando o túmulo do coronel que está abandonado.

    Resposta de Tião

    Mas depois que enterraram até Rafael Bento lá...

  • 27/06/2016 às 05:41

    Mestre Chico Barão

    Princesa é conhecida 75%% por qual motivo?

  • 26/06/2016 às 18:51

    MANOEL RONCO FINO

    Quando politica e ódio se misturam dão angú envenenado. O neto do Coronel com essa denuncia quer atingir seu primo desafeto Thiago Pereira. Nenhum dos Pereiras cuidam da memória do coronel em Princesa. O palacete está desabando, o túmulo do coronel está abandonado, o busto na praça com o nome do coronel é uma obra mixuruca que não tem a dimensão do homenageado. O livro que o Dr Aloisio escreveu foi lançado em Joao Pessoa e nenhum doado as escolas de Princesa,e não teve sequer um lançamento em Princesa. O silo, obra do coronel, está abondonado. O prédio onde seria o museu -onde foi a fábrica e a primeira usina de luz, construida pelo coronel - está deteriorado e sem futuro certo. Ninguem fala, nem comemora nenhuma data relativa ao coronel, nem a guerra de 1930. A única coisa lembrada do coronel é o nome Pereira que é usado a torto e direito para ativar o curral eleitoral de Princesa. O dinheiro e o nome que o coronel deixou, enriqueceu e promoveu muita gente, na politica e nos negocios. Só não sobrou para guardar a memória dele. Nem uma missa pela sua alma nas datas maiores. Zé Pereira Neto fala muito e age pouco.

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*

Outras Notícias

Roberto de Luna Freire Neste sábado, tive o prazer de reencontrar o amigo Roberto Costa de Luna Freire, na sua bela vivenda no Condominio Águas da Serra, em Bananeiras. Um bate papo... Ler mais

Manoel Júnior e o salário pequeno O vice-prefeito Manoel Júnior, diz o Sagres do TCE, ganha um salário de R$ 16.500,00. Isso é pouco.Para a relevância do... Ler mais

Princesa e o arco íris O prefeito Ricardo Pereira já encontrou uma profissão para exercer quando deixar a Prefeitura de Princesa: a de fotógrafo. Essa imagem do arco... Ler mais