O Governo do Rio Grande do Sul está com o pires na mão e a crise sobrou para os funcionários públicos, que estão recefbendo seus salários à prestação, conforme noticia o G1 da Globo, em matéria que o blog transcreve logo abaixo. Diante de um quadro desses, só resta aos paraibanos bater nos peitos e festejar pelo governo que tem, pelo governador que sabe driblar a crise e manter em dia todos os seus compromissos. Confira a tristeza dos gaúchos:

Governo do Rio Grande do Sul pagará R$ 350 aos servidores nesta quinta
Salário dos servidores do Poder Executivo será parcelado mais uma vez. Previsão é integralizar os vencimentos das 344 mil matrículas entre ativos, inativos e pensionistas até o próximo dia 13.

Mais uma vez, o governo do Rio Grande do Sul vai parcelar os salários dos servidores e pensionistas vinculados ao Poder Executivo. Nesta quinta-feira (31), último dia do mês, será depositado o valor de R$ 350 em cada matrícula.
Os valores estarão disponíveis na rede bancária no início da manhã. É a parcela de valor mais baixo já paga.
A previsão do Piratini é integralizar os pagamentos até o próximo dia 13 de setembro. Ao todo, o Estado tem 344 mil servidores, entre ativos, inativos e pensionistas.
Contando com pouco mais de R$ 221 milhões em caixa, a Secretaria Estadual da Fazenda conseguiu creditar apenas as duas primeiras faixas de uma folha líquida que fechou o mês em R$ 1,143 bilhão (sem considerar as consignações e tributos).
A Fazenda confirmou também o pagamento da nona parcela do 13º salário de 2016, o que significa o desencaixe de outros R$ 102 milhões.
Já as consignações bancárias, que chegam a R$ 150 milhões, devem ser pagas até o dia 22 do próximo mês.
Os servidores vinculados às fundações receberão os vencimentos integrais no próxima segunda-feira (4), segundo dia útil do mês. A folha dos 5,2 mil celetistas representam R$ 25 milhões.
Histórico de parcelamentos
Desde fevereiro do ano passado, os salários dos servidores do Poder Executivo vêm sendo pagos de forma fatiada e consecutiva. Em 2015, também houve parcelamento, no início do governo Sartori, mas por dois meses.
Antes, a última vez em que os servidores tiveram os salários parcelados, havia sido em 2007, durante o governo de Yeda Crusius.

 




Comentários realizados

  • 10/10/2017 às 07:31

    Toco

    E porque, o Sul quer separar do Resto do Brasil. Sera que eles, vão criar uma nova moeda?

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*

Outras Notícias