O deputado Manoel Junior vai ter que administrar a sua própria decisão de levar o PMDB a apoiar o prefeito Luciano Cartaxo. É que existe resistência interna a esta opção, a exemplo do PMDB jovem, que impõe a indicação de Ramon Moreira como vice e ainda, que haja a concordância do senador Zé Maranhão.

**

O senador Raimundo Lira tamhém foi a público defender a manutenção da aliança com o PSB de Ricardo Coutinho e, por conseguinte, o apoio a chapa liderada por Cida Ramos.

**

Igualmente contrariado ficou o deputado Raniery Paulino tanto quanto a desistência,como quanto o apoio a Luciano Cartaxo.

**

Manoel Júnior, por seu turno, não se abala.Tanto isso é verdade que ontem mesmo participou de ato público ao lado de Cartaxo e se deixou fotografar fazendo o L de Luciano com os dedos da mão.

**

O ruim vai ser o deputado desdizer tudo o que disse com o prefeito no tempo em que sonhava ser prefeito de João Pessoa.

**

Mas o político profissional tira isso de letra. Ele está acostumado a se comportar segundo o soprar do vento.

**

Em Bananeiras, ontem, houve agito político depois que o prefeito Douglas Lucena anunciou o nome de Guga Aragão como seu companheiro de chapa. Teve até pipocar de foguetão.

**

O pre candidato Mateus Bezerra ainda não disse o nome do vice. Mas isso não deve demorar, porque os prazos estão encurtando.

**

Forró bom da peste ontem à noite no Serra Golf de Bananeiras.

**

O frio tá de torar por aqui. E vai continuar nessa batida até num sei quando, pois nunca vi época de calor nessa região do brejo.

**

Deve ser por isso que a densidade demográfica por essas bandas é enorme.

**

No friozinho, debaixo do cobertor...

**

Hoje, na feira de Solânea,a turma da ressaca vai tomar a saideira com picado de bode.

**

E agora lá se vão os meus abraços para Marta Ramalho, Glauce Burity, Lucia Braga, Fatima Ventura, Luanna Brandão, Camila Toscano, Estela Bezerra, Andréia Barros, Raquel Coutinho, Livania Farias, Nilda Gondim, Luiza Erundina,Lia da Luz, Terezinha Mariano e Cacilda Lucena.

**

Esta semana ele completou 85 anos e continua com a mesma lucidez de quando tinha 40.  A vista encurtou, mas isso é comum para a idade. Falo,claro, de Wilson Braga, o bom Braga que nos governou e nos deixou o legado das águas que ainda hoje salva a Paraíba do colapso total nesses tempos de estiagem.

 

E nada melhor para comemorar a data do que contar aqui alguns causos vividos por Braga e que estão no meu livro  “Acima de qualquer suspeita – O lado engraçado dos políticos”:

 

Matador de gente

 

Sales Ferreira, o cri-cri de Mané Raposo, entrou de supetão na sala da Associação dos Procuradores e lá encontrou o deputado Wilson Braga conversando com Valdir dos Santos Lima. Wilson parou a conversa e convocou Sales:

 

-Sales amigo, preciso que você faça uma revisão no livro da deputada Lúcia Braga".

 

E sales:

 

-Wilson, literatura é com Mané Raposi, eu só sirvo pra matar gente."

 

Trocando as bolas

 

Wilson Braga esperava a vez de ser entrevistado na Rádio Sanhuá confortavelmente sentado na cabine do controlista, enquanto no stúdio Antonio Malvino fazia perguntas ao presidente do PT, Adalberto Fulgêncio. Curioso, como sempre, Braga quis saber quem era o entrevistado. E C.Rodrigues, solícito, apressou-se em informar:

 

-É o presidente do PT, Adalberto Fulgêncio, governador”.

 

Braga fez um “hummm”, a entrevista terminou, ia começar a sua hora, ele levantou-se , dirigiu-se ao stúdio e ao cruzar com Adalberto no corredor, botou o braço no seu pescoço e saudou em alta voz:

 

-Quer dizer que você é o famoso Fulgêncio Batista!

 

Monsieur Dinossauro

 

Wilson Braga encontrava-se no gabinete do senador Marcondes Gadelha, em Brasilia, que recepcionava, na ocasião, o paleontólogo francês Monsieur Joseph, recém chegado ao Brasil para estudar as pegadas dos dinossauros em Sousa.

 

Chamado às pressas ao plenário, Marcondes deixou Wilson fazendo sala para o visitante, quando por lá apareceu um senador paulista. Braga apresentou o visitante ao político:

 

-Aqui é o Monsieur... o Monsieur... , aí não lembrando mais o nome do dito cujo, completou: -O Monsieur Dinossauro!

 

Carta do defunto

 

Morreu Zezinho Rosas e Wilson Braga foi ao velório, solidarizou-se com a família acompanhou o enterro até o cemitério, compareceu a missa de sétimo dia, porém dias depois, quando das festas natalinas, enviou belo cartão de natal para o falecido e família.

 

Um irmão do finado achou por bem dar o troco. Escreveu uma cartinha ao deputado em nome do defunto:

 

“Deputado Wilson Braga,

 

“Tomei conhecimento do seu Cartão de Boas Festas a mim dirigido e enviado ao meu antigo endereço”.

 

“Lembro-me bem do senhor no meu enterro e na missa de sétimo dia que a minha família mandou celebrar na Igreja Nossa Senhora de Lourdes”.

 

“O senhor estava sentado num banco, na segunda fila”.

 

“Devo dizer-lhe, portanto, que o meu endereço mudou. Moro agora no Cemitério Senhor da Boa Sentença, Quadra 10, túmulo no. 504.”

“Por favor, não me envie mais correspondência”.

 

“Grato, Zezinho Rosas”.

 

As duas casas

 

Iedo Andrade, procurador aposentado do Estado da Paraíba, no Governo Wilson Braga foi diretor superintendente do Detran. Era, por assim dizer, da cozinha do então governador. Braga confiava nele cegamente e lhe dava missões das mais confidenciais, como encher a mala de dinheiro junto a construtoras e fazer pagamentos que não deveriam aparecer na contabilidade pública.

 

Contam que, certa vez, Iedo foi chamado ao gabinete do governador, que lhe entregou uma planta de uma casa e uma recomendação: ir à construtora fulana de tal, entregar a planta e dizer que fosse construída aquela casa para o governador. Iedo parou no meio do caminho, tirou uma cópia da planta e entregou as duas ao construtor, recomendando que deveriam ser construídas duas casas: uma para ele, outra para Braga.

 

Perseguição

 

Quando Nominando Diniz era presidente da Assembléia e Ramalho Leite primeiro secretário, ficou decidido que cada deputado estadual teria direito a uma passagem de avião por mês, para ir e voltar de Brasília a serviço de suas bases. Wilson Braga era deputado federal e sua esposa, Lucia, ocupava uma cadeira de estadual aqui na Paraíba.

Certo dia, Ramalho se encontrou com Braga no Distrito Federal e este se queixou:

 

-Eu quero saber o que Nominando tem contra mim...

 

- Nada, Wilson. Ele lhe tem muita estima! Respondeu Ramalho.

 

Mas Braga contestou: - Não acredito ! Como é que ele me tem essa estima toda e dá uma passagem para Lucia vir todo mês a Brasília me aperrear?

 

É cego!

 

Wilson participava da inauguração de um grupo escolar em Itaporanga. O prefeito, num discurso altamente bajulatório, afirmava:

 

-Wilson Braga trouxe pra nóis o "pogresso". Tudo que nós temos sai dos zóios do gunvernador.

 

Um bebado, no meio da platéia, bradou:

-Então tamos fudido, pois o homem é cego!

 

O rabo

 

Na eleição 1986,Wilson Braga era candidato a senador e em um comício em Pombal um orador começou a elogiar demais; Que tinha sido o melhor governador da paraíba, tinha o projeto canaã, o melhor para o funcionário público e etc... Quando em dado momento um gaiato gritou do meio do povo: dê o rabo a ele e o orador olhou para Wilson e disse: Eu respondo Wilson e este disse pode responder.

 

- Eu como o seu e o dele.

 

Ao que Braga reagiu:

 

-Perai, assim não.

 




Comentários realizados

  • 23/07/2016 às 22:55

    Paulo Albuquerque

    "Ele voltará" lembra disso.

  • 23/07/2016 às 18:52

    Zé Bedeu

    Tião, meu amigo velho quero pedir mais um favor. Enviei para o seu email uma foto e texto da menina de Solânea que vai se apresentar no Programa do Faustão, se o amigo puder da mais uma força. Danny Xavier

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*

Outras Notícias

1 – Meu amigo Messias mora no Valentina. Para chegar em casa, passa por ruas que, de tão esburacadas, parecem mais a superfície da lua. Ele diz que os bêbados do lugar usam... Ler mais

  1 – A tempestade “faiou”. Pelo menos não aconteceu. Ainda. Desde ontem que me escondo entre quatro paredes, brechando de longe para ver as árvores voando, os... Ler mais

1 – Funcionários da Procuradoria Geral do Estado e do Iphaep fizeram sua tradicional festa de São João quinta-feira, no pátio do Instituto, ali na João... Ler mais