E o que tem o sábado de diferente? Em primeiro lugar, porque é dia de feira. Eu gosto de feira livre, da zoada do povo, do cachorro lambendo meus pés, das barracas que vendem de tudo, das lanchonetes que servem as melhores iguarias e de tomar umas e outras com amigos que não via há tempos e que revejo exatamente porque é sábado, dia de feira.

**

Quando eu quero encontrar Paulo Mariano, vou à Torre. Lá ele faz ponto na praça da alimentação, tomando umas e comendo outras, enquanto cumade Terezinha proviencia as compras no mercado.

**

Antigamente, quando ele era vivo, Genebaldo Avelar trocava idéias com os amigos no Mercado Central. E haja gaitada gostosa, cachaça descendo e tira gosto de carne de porco com farinha enfeitando o prato.

**

Em Princesa, o Bar de Arlindo abria as portas para uma multidão de matutos e suburbanos. A cachaça dava no meio da canela e as conversas enchiam o céu de vozes. De vez em quando alguém dava uma facada em alguém, mas isso também fazia parte da paisagem.

**

Hoje é dia de feira em Princesa e em Solânea.A feira de Solânea é uma beleza de fartura e de tamanho.Ricardo Ramalho vai lá daqui a pouco comer picado com rainha. Ele e Carlos Chianca.

**

Continuo dispensando cuidados a Dona Cacilda e por isso hoje me privo de ir à Torre. Semana que vem eu vou e só retorno quando o sol se esconder lá pelos lados do Costa e Silva.

**

Tem coisa pior do que o sujeito falso? Ele te dá tapinhas, faz afagos, distribui beijinhos na testa, mas quando você dá as costas ele lhe mete uma dedada.

**

Meu novo livro está saindo do forno. A capa ficou uma belezura de creuza. Amanhã eu mostro a dita cuja aqui no blog.

**

Dia 16 Efigênio Moura lança seu livro em Monteiro, em Paulo Cachorrão, pelas cinco da tarde.

**

Rapaz, aqui pra nós e para o povo da rua, somente agora, com a divulgação dos inadimplentes pelo Diário Oficial, foi que fiquei sabendo da liberação de empréstimos do Empreender para jornalistas.

**

E agora lá se vão meus abraços sabadais para Elza de João Caetano, Vera de Mané Marques, Chiquinha de Dudu, Maria de Tia, Preta de Luizim, Xixica de João Dino, Luizinha de Fila, Socorro de Ambrosina,  Selma de Biu, Maria de Antoim Negão, Zefa da Pedreira, Joana de Vigó e Terô de Simpilicio.

**

De agora em diante, aprecie o verbo de Alcides Carneiro, paraibano de Princesa:

Foi, sem exagero nenhum, um dos maiores oradores do Brasil. Da Paraíba, com certeza, foi o maior. Nascido em Princesa, Alcides Vieira Carneiro conquistou o Brasil com o seu talento. Mas não teve sorte na política. Por isso dizia que “a Paraíba gosta  de me ouvir, mas não gosta de votar em mim”.

 

Vingança no cinema

O ministro Alcides Carneiro foi assistir a um filme de suspense. Na saída, quase caiu com o esbarrão de um sujeito apressado para entrar no cinema. O ministro reagiu com bons modos:

- Não precisa pressa. A outra sessão ainda não começou.

 

- E daí? Não lhe perguntei. Não pedi desculpas, nem vou pedir.

 

Restou a Carneiro reagir à malcriação com a vingança suprema:

 

- Ah, é? Pois então fique sabendo, logo agora, que o criminoso do filme só aparece no último minuto. É o primo do mocinho.

 

Revelado o enigma do filme, o mal-educado deu meia-volta e foi embora.

 

Alcides e Princesa

O saudoso tribuno fazia questão de dizer que devia tudo a sua cidade natal Princesa Isabel. No seu autorretrato, foi bem claro ao declarar-se filho de Princesa. Disse: ¨Nasci em Princesa, na Paraíba, em 11 de junho de 1906. O advento custou 5 mil reis, pagos a parteira Bonifácia. Este foi o preço da minha entrada neste mundo, ao qual nos trazem sem consulta e do qual nos levam sem aviso.

Continua: ¨Meu padrinho de batismo foi José Pereira Lima – caudilho altaneiro e valente ---- chefe da sedição que desencadeou a Revolução de 30. Prevaleceu na minha índole, o sangue paterno, inclusive sobre as proteínas do leite e os eflúvios da benção¨. ¨Cursei a Escola Primária do bom Professor Adriano Feitosa, onde tomei contato com a temida palmatória. Mais tarde, quando soube das formas parcialmente exuberantes da Vênus Calipigia, lembrei-me dela. Aos 11 anos, viajei ao Ceará, terra onde vi o mar e conheci o automóvel e água encanada. Consignados dois tios que ali residiam, matriculei-me no Instituto São Luiz, do professor Menezes Pimentel, depois no Liceu Cearense, onde conclui o curso secundário. Cursei dois anos a Faculdade de Direito do Ceará e transferi-me para o Recife, onde me formei em 1926, com 20 anos de idade. Gosto muito do Ceará e do seu povo. Viajando pelo mundo, encontrei, nas pirâmides, um cearense alugando camelos. ¨

 

O político

Formou-se em Direito muito jovem e, incentivado pelos primos Ruy e Janduy Carneiro, resolveu aventurar-se na política, porem com pouco sucesso, não obstante ser um grande arrebatador de multidões.

 

Foi eleito apenas por uma legislatura. Costumava dizer: ¨o povo gosta de me escutar, mas, não gosta de votar em mim. ¨

 

O orador

Seus discursos sempre foram recheados de frases impactantes em perfeita harmonia com a lógica da oratória clássica.

 

Ao paraninfar os formandos de 1974, da Faculdade de Direito da UFPB, antecipou o epitáfio do seu túmulo nos seguintes termos: ¨Foi Juiz, se absolveu por compaixão, não condenou por fraqueza.”

 

Ao inaugurar um Sanatório na cidade de Petrópolis, que recebia o seu nome, falou e disse:

 

¨Deixai que sussurrem as brisas porque não posso ouvi-las, deixai que passem os perfumes, porque não posso senti-los; este é o castigo para quem tanto se extasiou com as belezas da natureza, para quem tanto amou os mistérios da vida¨.

 

Com Ernani

Ao discursar na posse de Ernani Sátyro no Tribunal Superior Militar, falou que tinha duas invejas do empossado:

 

A primeira porque nunca foi escritor e a segunda diz respeito ao ciúme que sentiu quando Ernani esposou a moça que tanto amou.

 

Referia-se ao estado da Paraiba, que o empossado governou por quatro anos.

 

Saudando o corpo de Epitácio

Por ocasião do traslado dos restos mortais de Epitácio Pessoa, em 1965, discursou:

 

¨Neste instante, volta ao seio materno o pródigo da glória. Entre um soluço e um silêncio __ o soluço do povo, o silêncio das grandes angústias¨. ¨Epitácio não morreu. Vive onde vive Jesus. Sua voz ressoa nos gorjeios que vêm dos bosques, nos alísios que vêm do mar, ruge nos vendavais que açoitam os cariris, reboa nos contrafortes das serras, quando o raio troveja ao lucilar dos lívidos relâmpagos. ¨

 

PRINCIPAIS TRECHOS E FRASES SELECIONADAS DE DISCURSOS MEMORÁVEIS DO GRANDE ORADOR PARAIBANO ALCIDES CARNEIRO

 

“Paraíba, a terra que se fez tão pequenina para não parecer tão grande e se fez tão grande para se vingar de ser tão pequenina”

 

“que a justiça é o salário das consciências limpas e o direito é mesmo um apanágio do caráter”

 

“E podemos afirmar orgulhosamente que, graças a isso, não cometemos aqui os pecados capitais capazes de entregar os administradores à condenação irrecorrível da posteridade. Nem cometemos a displicência, nem a desonestidade, nem a injustiça. A displicência é o pecado dos inúteis, daqueles que não querendo ou não sabendo, agradar a Deus nem aos homens, acabam não agradando nem a si próprio. Não cometemos a desonestidade porque não é mais do que a ambição exacerbada até a loucura; para chegarmos até ela teremos, primeiro, de ser ambiciosos e, felizmente, já é tarde demais para isso. A injustiça é a filha dileta da inconsciência, a garra envenenada dos perversos

 

“Retire-se do mundo a liberdade e o mundo continuará vivendo com os seus grilhões. Varra-se da face da terra a luz do pensamento e a humanidade se acostumará à escuridão. Mas, desapareça da face do planeta a justiça e tudo afundará na voragem apocalíptica da destruição e da morte.”

 

“A justiça é a luz que ilumina mares e pântanos, palácios e favelas, torres e cloacas, frondes e relvas; faz tremer os tiranos e faz sorrir os mártires; exalta os santos e humilha os réprobos; castiga os opulentos e protege os pequeninos.

 

DISCURSO DE SAUDAÇÃO AO CANDIDATO ASSIS CHATEAUBRIAND

 

“Tu és um homem de temerárias iniciativas num país de contemplativos..”

 

“Eu vi em Florença, a cidade que viu Dante nascer e vela o túmulo de Miguel Ângelo, eu vi a linda vila que adquiriste para hospedar jovens brasileiros que desejam se aperfeiçoar nas artes. E disse, depois, em conversa, uma frase da qual tanto gostou a embaixatriz dos Estados Unidos: "Assis Chateaubriand; é um homem que Deus protege e que o Diabo respeita".

 

 

CARTA A UM VENCIDO

 

“Mas sempre ouvi dizer que o amigo bom é que faz o outro chorar.”

 

“E tu eras o cordeirinho tenro, a pedir sepultura nas entranhas das feras.”

 

“Se cada um se deixar arrasar pela depressão e omitir-se, estará bem próximo o reino dos inconscientes, o paraíso dos aventureiros.

 

“Não perdestes, meu caro amigo. Apenas cedestes jardas de um terreno que cedo reconquistarás. Caminha. Os horizontes te convidam. Hás de responder que eu falo assim porque meu caso é diferente. Porque desconheço a extensão, na mesma região, com o mesmo requinte perverso. Mas reajo, fazendo das fraquezas forças.”

 

"Quando de mim só restar este monumento tão duro, tão diferente de minha alma, então ele dirá, no seu silêncio sem fim: deixai que caia sobre mim o luar que eu não posso contemplar; deixai que sussurrem as brisas porque eu não posso senti-las".

 

 

INAUGURANDO UM SANATÓRIO PARA TUBERCULOSOS:

 

"Esta é uma casa que por infelicidade se procura, mas por felicidade se encontra".

 

 

INAUGURANDO O HOSPITAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS, NO RIO DE JANEIRO

 

"Este Hospital nasceu da bondade dos que sentem e viverá da confiança dos que sofrem".

 

"É uma volta que não espera por outras, e traz na alegria dos abraços a tristeza dos adeuses".

 

"Liberdade sobrevive porque é amada de Deus. Os homens só a desejam quando a perdem, e dela só lembram para tirá-la dos outros".

 

"Era a grandeza de um espírito, a mostrar, que se condenável é a amizade que desaparece à beira de um túmulo, mais condenável é o ressentimento que vai além da sepultura".

 

CARTA DE ALCIDES CARNEIRO AO PROF. OSCAR DE CASTRO

 

“...minha entrada neste mundo, ao qual nos trazem sem consulta e do qual nos levam sem aviso.”

 

“Incursionei na política, onde os homens me ensinaram os caminhos do inferno e o estilo do diabo. Aprendi depressa, mas depressa enjoei. Ela não é, senão para muito poucos, a arte humana de trabalhar pelos outros. De qualquer forma, para se vencer politicamente, é preciso enganar muito e mentir outro tanto. No começo, há engulhos. Depois o estômago aceita. A natureza é sábia e os homens, sabidos.”

 

“Se entender de exagerar, faça-o com moderação. O exagero é a mentira reduzida e a redução torna venial o pecado.”

 

SAUDAÇÃO AO MINISTRO ERNANI SÁTYRO NOSUPERIOR TRIBUNAL MILITAR

 

“Era para ser dito, de sertanejo para sertanejo, no alpendre de uma velha casa de fazenda, ao embalo da rede, visualizando, na cordilheira distante, o perfil das últimas palmeiras que ainda esperam a morte. Ouvindo, ao longe, o aboio dos vaqueiros e o gemido do carro de boi - um a mais sentimental de todas as cantigas, outro, o mais lamentoso de todos os lamentos.”

 

“Deixemos, agora, Sr. Ministro, nossa amada e estranha gleba, onde se chama o trovão de "pai da coalhada"; onde, quando o sol é uma bola de fogo queimando o manto do céu, dizemos que o tempo está feio, e dizemos que o tempo está bonito, quando os lívidos relâmpagos lançam fósforos acesos no carvão das nuvens.”

 

“Haverá momentos em que V. Ex.a. terá uma pontinha de inveja do caboclo incansável que se esfalfa no eito, de crepúsculo a crepúsculo, o lombo ao sol, bebendo a água da cacimba rasa, na concha da mão, da mão que os calos não deixam fechar-se e comendo, apenas, o manjar dos deserdados, a milagrosa rapadura - faisão dourado dos pobres.”

 

“...a velha esteira - a doce escrava branca das senzalas - submissa no chão do casebre, chão onde o caboclo dorme sobre os astros, como na canção famosa, sem notar que os machuca, pois o sono lhe vem antes da noite e a labuta começa antes da aurora.”

 

“Aqui, não pretenda ser o primeiro, porque iria desagradar a muitos. Nem queira ser o último, que o lugar já é meu.”

 

“Imutável, mesmo, só a consciência, intransigente, só ela, que tudo vê, tudo pesa, tudo sente e a tudo preside - carcereira inflexível dos instintos, espiã de Deus, alcoviteira do diabo. É aquele morcego dos versos de Augusto: "Por mais que se faça à noite, ele entra imperceptivelmente em nosso quarto".

 

“Esqueceu-se V. Ex.a., com perdão da franqueza, de por na balança a sensibilidade, que é mais que coração, mais que sentimento. A sensibilidade compara-se a uma mulher excessivamente caridosa, que se casa com um avarento. Ela sofrerá a crueza das recusas constantes; ele se mortificará com a ronda infindável das impertinências que enervam. “

 

RECEPÇÃO AOS RESTOS MORTAIS DE EPITÁCIO PESSOA

 

“Neste instante, volta ao seio materno o pródigo da glória. Entre um soluço e um silêncio: - o soluço do povo e o silêncio das grandes angústias.”

 

“Nem é preciso lhe desejar que a terra lhe seja leve, pois a terra em que se nasce é sempre tão leve que a trazemos a vida inteira sem que nos pese dentro do coração.”

 

“E é tão triste este instante que a própria imortalidade se debruça sobre a Paraíba para consolá-la, pois se há um consolo para uma mãe que vê o filho morto é ver esse filho imortalizado e ouvir os hinos exaltadores, os hosanas da consagração, ao rebento amado, ao lidador audaz que do ventre lhe saiu na predestinação do mais fecundo dos partos.”

 

“Saudoso de esvoaçar nos cimos das cordilheiras nativas, regressa o condor. A águia altívola, cansada dos mais altos remígios, pousa as asas triunfais nos píncaros da terra adorada.”

 

“Não! Epitácio não morreu. Vive onde vive Jesus. Sua voz ressoa nos gorjeios que vêm dos bosques, nos alísios que vêm do mar; ruge nos vendavais que açoitam os cariris; reboa nos contrafortes das serras, quando o raio troveja ao lucilar dos lívidos relâmpagos.”

 

“...da Paraíba que tanto amaste porque ela é pequena como teu corpo, grande como teu destino, imortal como tua glória;”

 

“...que viu a queda e a ascensão de tiranias sufocantes, uma geração que vem oscilando entre a mais elevada e exaltadora confiança e o amargo constrangimento das decepções; uma geração para a qual já são remotos os gemidos dos escravos, e ainda vê escravos que nem podem gemer; uma geração que ama, acima de tudo, a liberdade, a justiça social e a dignidade da pessoa humana e que anseia por homens de tua têmpera, dotados da fé dos apóstolos e da energia dos guerreiros; homens que se condenem ao trabalho forçado pela felicidade dos seus semelhantes; homens que tenham a coragem de traçar rumos e marchar para a frente com esses rumos, ajudando a humanidade e ajudando a Deus, porque Deus anda tão ocupado em guiar os que marcham que não lhe sobra tempo para assistir aos que se detêm.”

 

“Não se inquietes porque será, decerto o flabelar das palmeiras junto com os suspiros do mar cantando em surdina para embalar-te, uma canção de acalanto na serenata do adeus. Ou será o vento dos cariris que veio gemendo, sacudindo cascalhos, destrançando cipós, abanar o menino que ele viu nascer.”

 

EPITÁCIO PESSOA E SUA BRAVURA PESSOAL

 

“Disse um filósofo que Deus, antes de tudo, fez o medo. E, dizemos nós, como um Deus descansado é um Deus pródigo, coube a muitos o defeito. E o medo avassalou o mundo, deprimindo espíritos, esmagando consciências. Medo da vida, medo da morte, medo de tudo. O infeliz sentimento, generalizado, gerou e cevou monstros de audácia e iniqüidade, vândalos da cobiça e da espoliação, frios estranguladores da liberdade; alimentou tiranias afrontosas, imposturas hediondas, nefastos balcões de enganos a preço do sangue. Tudo se escravizou, em nome do medo, por causa do medo, à custa do medo. Continuando Sua obra, depois de fazer o Universo uma vastidão de sóis, Deus fez do humano coração um universo de sombras. Mas, criou a fé - escudo das almas; criou a esperança - tesoureira dos sonhos; criou a caridade - Santo Viático das moradas eternas. Ao fim de tantos prodígios, cansou. E um Deus cansado é um Deus somítico. Na lassidão da divina estafa, ao cabo de tudo, Deus fez a coragem. E coube a poucos a virtude. Mas esses poucos, por desígnio da Providência, tornaram-se arnês, elmo a lança da humanidade, os Davids do gênero humano, cavaleiros andantes da justiça social, da ordem, da paz, do entendimento entre os povos, da defesa da dignidade da pessoa humana, da comunhão universal”

 

“Pois a prudência excessiva é a parenta mais próxima de todas as formas de acomodações que desmoralizam os homens públicos, sem falar na timidez congênita que tem sido a perdição de tantos valores humanos.”

 

“Aquilo que do berço se traz, só ao túmulo se devolve”

 

“...numa Cripta no Palácio da Justiça, que foi o ideal da sua vida e a majestade da sua morte”

 

“porque gastou na pompa das suas auroras o ouro da sua riqueza.”

 

“...lembrado sem ódio, que este é efêmero; lembrado com amor, que este é eterno. E um famoso condutor de homens já afirmou: "A multidão é feminina, ama os fortes".

 

DISCURSO SOBRE O MAHATMA GHANDI

 

 

“Um - fez da violência a sua fé; outro - da não-violência o seu credo. Um - incendiou o mundo, com a força; outro - iluminou-o, com a razão.” (Napoleão Bonaparte e Ghandi)

 

“É que, se Bonaparte foi um gênio, faminto de poder, Ghandi foi um apóstolo, sedento de humanidade.”

 

“Balzac definia a teimosia como a persistência dos tolos. Ghandi provou que a persistência é a teimosia dos sábios.”

 

 

SOBRE O SESQUICENTENÁRIO DAINDEPENDÊNCIA DO BRASIL

 

“ É o vale-quem-tem erigido em norma de viver. É o ladrão encarcerado porque roubou pouco, e o barão improvisado porque roubou muito.”

 

 

COMO PARANINFO DA TURMA DE BACHARÉIS DE 1974

 

“Admiração (pelo Governador Ernani Sátyro) tão profunda e tão real que a intimidade não conseguiu diminuir. Tenho entretanto dois motivos: um de elevada inveja, outro de baixo ciúme. Inveja de sua glória literária conquistada com livros admiráveis e ciúme por ter visto V. Ex.a. governar a Paraíba, que é o mesmo que ter casado com minha noiva.”

 

“...estou vivo, porque duas vezes morri e duas ressuscitei. A morte, vendo que não me intimidava, largou-me. Hoje, fingimos que não nos conhecemos.

 

“ foi juiz, se absolveu por compaixão, não condenou por fraqueza.”

 

“Desanimar um jovem é enterrar um vivo. E se não há ressurreição para aquele que o desânimo matou, não há perdão para quem matou enganos e desflorou ilusões.”

 

“ Os monstros não sabem que são monstros e os santos sabem que se erguem e caminham sobre ombros de pecadores, as vezes, nem são tão pecadores os que carregam nem tão inocentes os carregados.”

 

“Já foi dito que as rosas morrem se desfolhando, e nós vivemos como as rosas morrem. Assim, estou vivendo estes instantes revendo minha terra, as suas cores, a policromia feiticeira que encantou os meus olhos e doirou a minha vida. Sentindo o seu cheiro de mulher, de mãe. Cheiro de terra que o mar não conhece, cheiro de terra que só conhece o mar. E a rosa, que já foi rosa, batida por todos os ventos, castigada, por tantos sóis, embranquecida por tantos luares, volta aos jardins nativos para deixar cair suas últimas pétalas. É uma volta que não espera por outras, e traz na alegria dos abraços a tristeza dos adeuses.”

 

 

UM SANATÓRIO COM O SEU NOME EM PETRÓPOLIS

 

 

“Saudação tão sincera, tão cheia de belos e lisonjeiros conceitos, que o vento não levará, porque eu já os guardei dentro do coração.”

 

“Então, quando de mim só restar este bronze tão duro, tão diferente de minha alma, então ele dirá, no seu silêncio sem fim: deixai que caia sobre mim o luar que eu não posso contemplar; Deixai que sussurrem as brisas por que eu não posso ouvi-las; Deixai que passem os perfumes porque eu não posso senti-los; este é o castigo para quem tanto se extasiou com as belezas da natureza, para quem tanto amou os mistérios da vida.”

 

EM HOMENAGEM AO PARLAMENTAR AGAMENON SÉRGIO DE GODÓI MAGALHÃES

 

“E por que havia de ser esse, exatamente esse, o escolhido da fatalidade? É que o jequitibá, por ser mais alto que todos, atrai o raio que o fulmina! O fogo do céu despreza os arbustos; só atinge as frondes que do céu se avistam!”

 

 




Comentários realizados

  • 10/12/2016 às 09:49

    Angela Lima

    O Temer e seus escudeiros negaram que ele tivesse recebido os 10 milhões da Odebrecht; agora que a prova foi divulgada, o que ele vai fazer? VEJAM: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/269773/Delator-apresenta-prova-da-propina-a-Temer-o-MT.htm

  • 10/12/2016 às 08:58

    Zé Adalberto

    Já não se faz Alcides como antigamente. Que maravilha amanhecer um sábado e ter o privilégio de lê uma obra de arte dessa. Queria eu ser capaz de fazer um comentário a altura do que li, infelizmente não sou. Obrigado Tião por me proporcionar uma manhã tão agradável, Há se nossa juventude tivesse o hábito da leitura, e se deparasse com uma relíquia dessa.

  • 10/12/2016 às 08:22

    João Marcelo

    Tião, os seus textos estão lindos, essa semana o que você escreveu para Dona Cacilda foi emocionante, o de hoje também, falando da feira e de Alcides Carneiro, gostei muito, o meu pai é um admirador de Alcides Carneiro. Tião, você ta escrevendo melhor do que Gonzaga Rodrigues kkkkkk. Abraços.

  • 10/12/2016 às 07:55

    ramalho

    Tiao é Alcides demais pra um dia só.Vai devagar que é mais interessante.Saúde para d Cacilda.Amo Novo em Bananaeiras nos veremos ab

  • 10/12/2016 às 07:35

    Chico

    Obrigado Tião pela excelente publicação,Alcides com sua retórica massageava as almas mais sensíveis, mas como Augusto dos Anjos,não escreveu com a simplicidade de Ariano Suassuna. Mas nem tudo awui é perfeito.

  • 10/12/2016 às 07:18

    LAVOISIER

    Esqueceu de falar do todo feio...

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail é de preenchimento obrigatório, mas não se preocupe que não publicaremos. Seu comentário será moderado pelo administrador do site e só será divulgado após isso.*

Outras Notícias

 1 – O Porque Hoje é Sábado começa rendendo uma merecida homenagem ao amigo Ricardo Coutinho, que está comemorando mais um ano de vida nesta data. Cinquenta e... Ler mais

  1 - Senhores trabalhadores da Paraíba, guardem os nomes dos deputados que votaram a favor da reforma trabalhista. A partir de hoje, graças aos deputados que apoiaram a medida de... Ler mais

1 – Eu sabia que não é normal esse número inconcebível de pardais na cidade de João Pessoa. Tudo de mais é veneno, já ensinava finada Bilica, do... Ler mais