Paciente de Teixeira é a primeira a utilizar os serviços de quimioterapia do Hospital do Bem

A primeira sessão de quimioterapia do Hospital do Bem, que integra o Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro de Patos, aconteceu na tarde desta terça-feira (11). A paciente Maria de Lourdes de Sousa, da cidade de Teixeira, descobriu um nódulo na mama há três anos, mas escondeu dos familiares e somente depois da biopsia, feita recentemente, e após uma consulta, no último dia 03 de agosto, foi fechado o diagnóstico de câncer de mama. O tratamento, que ia ser realizado em João Pessoa, foi redirecionado para o Hospital do Bem, em Patos. Com isso, além de dispor de um atendimento oncológico adequado de média e alta complexidade mais perto de casa, a agricultora aposentada de 69 anos não precisará se deslocar mais de 300 km para se tratar.

“Esse hospital aqui perto foi uma benção, pois a viagem para a capital era muito cansativa”, disse Dona Maria, que fez os primeiros exames e consultas em João Pessoa. Ao chegar nesta terça-feira pela manhã no Hospital, acompanhada da única filha, Jaqueline Nóbrega, ela mostrava otimismo e disse não temer o tratamento. “Só vim me preocupar com o tumor quando ele cresceu, porque não dói nada, não me incomoda, por isso não disse a ninguém. Estou disposta a enfrentar tudo porque comigo não tem nervoso de forma alguma”, afirmou ela.

A médica oncologista do Hospital, Nayarah Castro, que acolheu a paciente junto com a equipe multiprofissional da unidade, reforça a importância do diagnóstico precoce e do tratamento o mais cedo possível. “O sucesso terapêutico e a maior chance de cura estão diretamente relacionados ao diagnóstico precoce e ao início do tratamento”, destaca a médica. Para a Dona Maria, ela prescreveu um tratamento com 16 sessões de quimioterapia, sendo as primeiras quatro sessões da série vermelha e as outras 12 sessões da série branca. “Vamos iniciar com quatros sessões vermelhas, com intervalos de 21 dias de uma para outra, e quando acabarmos iniciaremos as sessões brancas que serão semanais”, explica a Dra. Nayarah.

Ainda segundo a médica, o tratamento iniciado nesta terça-feira tem o objetivo de reduzir ao máximo o tamanho do tumor para uma posterior cirurgia. Ela disse também que o protocolo de tratamento de quimioterapia adotado pelo Hospital do Bem é igual ao realizado em unidades de referência em nível nacional, a exemplo do Albert Einstein, de São Paulo. Ela reforçou ainda a importância do autoexame nas mamas, mas, sobretudo, a mamografia a partir dos 40 anos. “O autoexame é fundamental, mas ele não identifica tumores muito pequenos que são visíveis no exame mamográfico e confirmados, se for o caso, em ultrassonografia”, reforça a médica.

Serviços – O Hospital do Bem foi inaugurado no último dia 03 e começou a receber os primeiros paciente no dia 05. A unidade atende casos de câncer de próstata, mama, colo de útero e pele, ofertando serviços ambulatoriais, quimioterapia e cirurgia, além de diversos exames de ultrassonografia com Doppler; tomografia; endoscopia; eletrocardiograma; exames laboratoriais e Raio X. Os exames de ressonância magnética e cintilografia óssea, são terceirizados, mas custeados de forma partilhada pelas Secretarias de Saúde Municipal e Estadual de Saúde. O Hospital não funciona de ‘portas abertas’, ou seja, para ser atendido o paciente tem que ser encaminhado via Central de Regulação do Estado.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

Mais comentadas