Hospital Metropolitano recebe primeiro pouso aeromédico e atende bebê cardiopata transferida do Ceará

Foi num voo de esperança que a bebê prematura, de apenas sete dias de vida, conseguiu chegar ao Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, que é referência em cardiologia no Estado. A neonata nasceu com um quadro grave de cardiopatia no Crato (CE) e necessitava de atendimento em uma UTI neonatal especializada. A transferência, realizada por meio de aeronave de asa rotativa biturbina (helicóptero), contou com os trabalhos da equipe aeromédica da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) do estado do Ceará. Esse foi o primeiro pouso aeromédico da unidade de saúde.      

A diretora da unidade de saúde, Roberta Abath, esclareceu que ações como essas movem toda uma logística multidisciplinar, a fim de salvar uma vida humana. “Toda a nossa equipe médica ficou a postos aguardando a chegada da recém-nascida. Assim que o helicóptero pousou em nosso heliponto, a neonata foi prontamente removida para UTI e segue internada”, afirmou a diretora-geral.

De acordo com Leonardo Torres, médico responsável pela paciente no período de voo, ocorrências como essas, fazem toda diferença, não só na vida do assistido, mas também da família. “Esse caso, em especial, mexeu com toda equipe, pois vimos de perto a luta da mãe para conseguir a chance de receber ajuda especializada, fundamental para a sobrevivência da filha. O Metropolitano é uma unidade referência cardíaca e oferece uma infraestrutura capacitada no tratamento da patologia. Essa oportunidade surgiu bem longe de sua casa, mas tudo conspirou para que desse certo a transferência”, pontuou.

 Já para o tenente coronel Nóbrega, piloto da aeronave, a viagem foi longa, mas teve um final feliz. Toda a missão durou mais de 12 h, o voo decolou da cidade do Crato, no Ceará, e teve duração de 7h e 24 minutos. “Eu sou piloto há 20 anos, e estou acostumado a transportar vidas humanas, mas quando se trata de recém-nascido toda equipe se comove, pela fragilidade daquele ser, embora não nos deixamos levar pelas emoções, pois na cabine precisamos de concentração total para um voo seguro” concluiu. 

Perfil – O Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, localizado em Santa Rita, é a primeira unidade de saúde pública do Estado da Paraíba especializada em neurologia e cardiologia. Dispondo de um heliponto, além de um moderno centro diagnóstico por imagem, o complexo hospitalar tem a capacidade de 226 leitos, sendo 60 de UTI e 11 salas de cirurgia.

6 Comentário On Hospital Metropolitano recebe primeiro pouso aeromédico e atende bebê cardiopata transferida do Ceará

  • Orgulho de nossa Paraiba, obrigada Ricardo só uma administraçao como a sua podermuitooooo da Paraiba um estado que tanto nos orgulha. e muitooooo.

  • Mas o governador que executou esta obra está sendo execrado pela mídia escrota e adversário sem levianos ,e os que outrora lhe defendia hoje são mesras paisagens ou birutas esperando o sopro do vento.

  • Parabéns aos envolvidos. Paraíba referência no nordeste. Gestão competente

  • Hospital referência não só no nordeste.
    E foi obra de quem mesmo? RICARDO COUTINHO.
    É inacreditável como o dinheiro público deu para tantas obras magníficas,
    no governo do mago. Esse sim é um verdadeiro mago dos recursos público.
    O povo viu e sabe para onde foi o seu dinheiro.

  • Obrigada RC!!!! Vc estará sempre no coração e mentes dos homens e mulheres de bem da nossa amada PB.

  • Ola, meu nome é Michelle e isso me comoveu pois estou com uma bebe de 39 dias com atresia de esôfago e cardiopatia congênita entre outras ma formação. Ate hoje não encontramos hospital q atenda o caso dela, cada dia é um sofrimento de ver minha primeira princesa dessa maneira.

Deixe uma resposta to Aldo Cancelar Resposta

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles