As primeiras do dia

Esta eu tirei do Click PB:

A Prefeitura de João Pessoa (PMJP) paralisou sem justificativa as reformas em duas escolas, cujas estruturas estão se deteriorando pelo tempo que estão abandonadas. As escolas Severino Patrício, no bairro do Alto do Mateus, e Moema Tinoco, no Funcionários II, estão fechadas e sucateadas. De acordo com moradores vizinhos às duas unidades de ensino, as escolas estão fechadas há mais de um ano.  

A obra na escola Severino Patrício, por exemplo, orçada em R$ 668,3 mil, tinha um prazo inicial de 240 dias para ser concluída. Já as obras da escola Moema Tinoco estão orçadas em R$ 1,8 milhão. As escolas estão abandonadas e tomadas pelo mato, escombros e lixo.  

**

As atuais quadrilhas juninas estão mais para escolas de samba do Rio de Janeiro do que para representantes da festa mais autêntica do Nordeste brasileiro, o São João. É só olhar as apresentações das quadrilhas para perceber: têm comissão de frente, paradinha de bateria e enfeites que lembram em tudo os morros cariocas e suas mulatas gostosas.

**

Não consigo mais ler comentários postados por simpatizantes de Bolsonaro nas redes sociais. Eles odeiam demais para o meu gosto. São virulentos demais para o meu refinado paladar.

**

Bananeiras já está literalmente invadida pelo público que decidiu brincar o São João na mais bela e fria cidade do brejo paraibano. As ruas estão embandeiradas e o clima junino se faz notar em cada esquina, em cada casa, em cada praça.

**

Deputados de oposição criaram um site para denunciar corrupção dos seus adversários. Então é hora de se criar um site para denunciar a corrupção dos correligionários dos deputados de oposição.

**

Se ninguém criar, eu crio.

**

Moro enrolou muito no Senado. Mas levou cada reprimenda…

**

Para ele, que se habituara a mandar, levar gato em público deve ter sido muito ruim demais.

**

Vi a cena: enquanto o senador interpelava Moro, uma mulher com crise de tremedeira era medicada, ao vivo e a cores.

**

O novo presidente do BNDES é um invasor de condomínio.

**

Quebrou o portão, entrou na marra e fez a sua festinha.

**

E o senador, filho de Bolsonaro, estava lá, dando sustentação.

**

Eita que me deu saudade do São João de antigamente.

**

Saudade das fogueiras…

**

Dos balões enfeitando o céu…

**

Dos fogos de lágrimas e dos bonecos de Pedro Fogueteiro…

**

Da sanfona gemedeira de Manoel Tocador…

**

Das quadrilhas de Parajara na Praça do Véi Mano…

**

Das cabrochas lindas, fantasiadas de matuto…

**

Do casamento matuto…

**

Do capilé de João Costa…

**

Dos sanduiches de Maria Costa…

**

Era tudo muito ótimo demais.

11 Comentário On As primeiras do dia

  • 28 senadores elogiaram o Ministro, 12 criticaram o que é da democracia, mesmo estando cercado de corruptos como Renan Calheiros, Jaques Wagner e Humberto Costa, o ex-Juiz, mostrou o porquê tem respaldo popular. Lugar de ladrão é na cadeia. Aliás, que o diga os envolvidos na Operação Calvário. Dia 30 mais uma manifestação a favor da Lava Jato, no Busto de Tamandaré.

    • Para começar soa até estranho, diante de tantas evidências contrárias, ainda classificar o Moro como ex-juiz.
      É até uma ofensa aos milhares de juizes decentes que o judiciário brasileiro possui.
      Dentre os 28 que elogiaram o Moro, quantos não o fizeram em nome do próprio interesse?
      E cadeia é também lugar de quem pratica perjúrio, sabia?

  • Tião, eu particularmente tô achando q esse caso do Juizeco não vai dar em nada…pizzzzaa, infelizmente. O que tu achas?

  • Sebastião Lucena, você tem razão quando se reporta as quadrilhas juninas de hoje. Acanalharam as quadrilhas. Músicas tocadas em ritmo de frevo, indumentárias horrorosas e coreografias da Marquês de Sapucaí. Destruíram a tradição junina. Por outro lado, estive com minha família no tal “Maior São João do Mundo” e saí daquele lugar decepcionada porque em vez de assistir cantores, conjuntos musicais de forró raiz, acabei, mesmo contrariada, vendo apresentações de padres, duplas sertanejas e outras babaquices afins. Sinceramente, estão inovando e destruindo a nossa tradição. Grata pela publicação .

  • Ontem, na CCJ, quando um senador disse que os arquivos das mensagens
    estavam nas nuvens e que poderiam ser acessados, o Moro ficou com
    sembante alterado. Logo em seguida veio um intervalo. Na volta, imaginem
    só, o Moro, demonstrando alívio, disse que havia feito consultas e que o
    conteúdo das mensagens, mesmo se estivessem nas nuvens, não poderiam
    ser recuperados.
    Minutos depois, foi a vez do senador Randolfe falar, e rebatendo a informação do
    Moro, mostrou a resposta que o Telegram havia enviado para ele, via Twitter,
    afirmando que o conteúdo de mensagens nas nuvens podem, sim, ser acessados.

    A Lava Jato por sua vez, após o depoimento do Moro, emitiu uma nota informando que
    as contas dos procuradores foram desativadas em abril. E que desde então
    “vários de seus integrantes vêm constatando ataques a seus aplicativos”.

    Isso me fez lembrar daquele episódio em que uma das Kardashiam teve fotos
    íntimas dela, que estavam nas nuvens, acessadas, e sofreu chantagem da
    pessoa que acessou e ameaçava publicar.
    Isso foi uns 2 oi 3 anos atrás. E foi um barraco e tanto, e envolveu até o FBI.
    Lembro que, ao final das investigações, o conselho dado pelos investigadores
    foi o de que tivessem muito cuidado com o que postassem nas nuvens porque,
    uma vez colocado lá, ficariam para sempre.

    O estranho mesmo foi a informação dada pelo Moro, e a manifestação da
    Lava Jato logo em seguida.
    Haja coincidência!

    E o Moro anunciou que não irá mais participar do 14º Congresso da Associação
    de Jornalistas Investigativos. Isso após a ABRAJI divulgar nota condenando os
    ataques ao jornalista Gleem Greenwald.

    Aliás,o Moro, durante o seu depoimento na CCJ, disse não concordar com tais
    ataques ao jornalista, ao The Intercept, e nem com as ameaças que a família
    está recebendo.

    Se as palavras dele são verdadeiras, mais um motivo para ele comparecer.

  • O SEU DEPUTADO, AQUELE EM QUE VOCÊ VOTOU VEM PARA OS FERIADOS?
    ÓTIMO! PERGUNTE SE ELE TAMBÉM FAZ PARTE DO “ACORDO” QUE VAI FERRAR A SUA APOSENTADORIA.
    SE ELE DISSER QUE O DINHEIRO SERÁ INVESTIDO NA SUA CIDADE, NÃO ACREDITE!
    LEMBRE-SE DAS MENTIRAS QUE FORAM DITAS PARA A APROVAÇÃO DA REFORMA TRABALHISTA!

    DA REVISTA FORUM:

    ACORDO FECHADO: GOVERNO VAI PAGAR 40 MILHÕES A CADA DEPUTADO PARA APROVAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA.

    O acordo gera um desequilíbrio na disputa eleitoral e nada mais é do que o corriqueiro toma lá da cá tão combatido por Bolsonaro que convencionou denomina-lo de velha política

    m nome do presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ), o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil) que deixará a articulação política após a aprovação da reforma da Previdência, fechou acordo para viabilizar a sua votação até a primeira quinzena de julho.

    Segundo o Painel da Folha, o acerto foi firmado na residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e mobilizou líderes e dirigentes dos principais partidos, incluído o Centrão que foi atacado nas ruas pelos manifestantes que foram defender o governo Bolsonaro.

    O governo teria se comprometido a empenhar e liquidar cerca de R$ 20 milhões em emendas, dos 40 milhões prometidos, ainda neste ano.

    Os outros R$ 20 milhões de reais seriam liberados até as eleições municipais do ano que vem, o que favoreceria os deputados que apoiarem a reforma da Previdência nessas disputas.

    O acordo gera um desequilíbrio na disputa eleitoral e nada mais é do que o corriqueiro toma lá da cá tão combatido por Bolsonaro que convencionou denomina-lo de velha política.

  • Procuradores confessam eliminação de provas ao apagar ‘Telegram’

    Por Fernando Brito · 19/06/2019

    A Folha de S. Paulo anuncia que “a força-tarefa da Lava Jato no Paraná divulgou uma nota “afirmando que os procuradores da operação desativaram suas contas no aplicativo Telegram em seus celulares após ataques de hackers a partir de abril deste ano. Foi nesse aplicativo que aconteceram as trocas de mensagens em grupos de procuradores e do coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol, com o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça.”

    Faz, portanto, prova de que agiu para destruir provas de um ato criminoso: a invasão de telefones que, é crime de ação pública, que nenhum cidadão tem o direito de deixar de comunicar, mais ainda os que sofrem a invasão em aparelhos funcionais que, em tese, deveriam servir para comunicações funcionais.

    Se querem ter conversas íntimas, namorar, trocar “nudes” ou coisa do gênero, que despertariam preocupações sobre privacidade, nada os impediria de ter um chip com outro número, privado.

    Mas ao apagarem as contas oficiais hackeadas ou clonadas, eliminaram as provas de um crime, o da violação de sigilo telefônico ou telemático, com as mensagens.

    Não é possível que procuradores da República não saibam que eliminar provas é obstrução da Justiça.

    Ou que não confiem que uma apuração da Polícia Federal, pedida por eles próprios, lhes preservaria intimidades.

    Se apagaram, queriam apagar provas.

    Como os “apagões” teriam acontecido a partir de abril deste ano e o Telegram, oficialmente, disse que conserva as mensagens trocadas por seis meses, desde a inativação das contas, as provas estão lá.

    Só não as terá quem não quiser, o que parece ser o caso da Força Tarefa da Lava Jato.

  • além do mais são placas sem conteudo, e grande mais deixa a desejar, deveria ser menor mais com estas anotações, CONTRATO DA OBRA, DATA DE INICIO E CONCLUSÃO, NOME DA EMPRESA RESPONSAVEL e ENGENHEIRO DA EMPRESA, SIMPLES, ai se verifica o quanto se ver em uma obra ATRASADA.

  • Tiao os valores estao invertidos renan mafioso mais de 15 processos interogando moro essa e piada so um bajulador para postar isso

  • Do 247:
    UM DIA DE ALEGRIA PARA UM HOMEM PRESO E DE TRISTEZA PARA UM SOLTO.
    Luciana Oliveira/ Jornalista de Porto Velho, Rondônia, e membro da Comissão Nacional de Blogueiros.

    Do lado de fora, o gigante inflável ‘Super-Moro’.

    Dentro, a mentira com pernas curtas.

    O ministro da justiça Sérgio Moro perdeu o superpoder do ilusionismo. Nada levou à Comissão de Constituição e Justiça
    do Senado que pudesse melhorar a estatura moral apequenada com as reportagens do site The Intercept.

    Foram mais de oito horas dando explicações sobre diálogos divulgados pelo site que o colocam como protagonista da
    maior farsa judicial do país.

    Dezenas de senadores se revezaram nos questionamentos, um suplício prolongado para quem tem que
    se defender da acusação de trapaça como juiz, em conluio com procuradores.

    Moro não surpreendeu, insistiu em negar importância ao conteúdo das reportagens e dar relevância a forma
    como foram obtidas as informações da maior fraude judicial do país.

    “Grupo de hackers criminoso, organizado, invadiu conversas de autoridades públicas”, disse o ministro.

    Há quem diga exatamente o contrário: grupo de autoridades públicas, criminoso, organizado, invadiu processos para corromper direitos, derrubar e eleger governo.

    Moro, que agiu com absoluto e inquestionável sensacionalismo quando era juiz na Lava Jato com vazamentos
    de conversas que lhe renderam pedido de desculpas ao STF por ultrapassar seus poderes, reclamou de pirotecnia midiática.

    Resumindo, sensacionalismo é bom contra os outros.

    O senador Jaques Wagner (PT) provocou: “foi medida sensacionalista divulgar conversas grampeadas de Dilma?”

    Também não colou o truque de usar a Lava Jato como escudo para se proteger manipulando a opinião pública a seu favor.

    Foi lembrado várias vezes que o que está em debate não é a importância da força-tarefa contra a corrupção, mas quantos
    e o quanto a emporcalharam para interferir no resultado das eleições de 2018.

    Se Moro realmente estivesse preocupado com a credibilidade da Lava Jato, se afastaria imediatamente do cargo de ministro
    para não levantar suspeitas nas investigações da Polícia Federal.

    Nem bem começaram e o ministro já chamou o Intercept de “site aliado a hackers criminosos”.

    A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) reagiu com nota de repúdio à tentativa de intimidar o veículo e
    o jornalista Glenn Greenwald.

    “Tentativas de intimidar e silenciar um veículo são ações típicas de contextos autoritários e não podem ser tolerados na democracia que rege o país”.

    Hoje Lula certamente dorme melhor que Moro.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste