As primeiras do dia

Primeiro tiraram a TV Câmara do ar, depois os grandes portais se fizeram de mortos e nada divulgaram sobre a sessão da Comissão de Direitos Humanos que ouviu a aula de jornalismo dada por Glenn Greenwald, o dono do site Interpecpt. As redes sociais, no entanto, mais uma vez supriram as omissões e permitiram ao brasileiro conhecer um cabra corajoso, destemido e tranquilo, que sozinho calou a boca de uma bancada inteira de bolsonaristas.

**

O STF tremeu e não soltou Lula.

**

Gervásio Maia mostrou que não é à tôa que é neto de João Agripino.

**

Do prefeito Ricardo Pereira ao ex-prefeito Dominguinhos: “Você vai ser preso.”

**

Viuge!

**

Walber Virgulino apresentou projeto proibindo que moradores de casas construídas em terrenos invadidos, tenham direito a luz elétrica e água encanada.

**

O projeto do deputado proíbe a instalação de medidores de energia elétrica, água e gás canalizado em edificações definidas como irregulares.

**

No projeto do deputado, são consideradas irregulares as moradias construídas em áreas de risco ou de proteção ambiental, ou outras edificações não autorizadas pelos órgãos de fiscalização e de segurança do poder público municipal e estadual.

**

E nele, no projeto, estão previstas as seguintes multas para quem fizer uma casinha em local considerado impróprio: 5.000 mil UFIRs – PB por unidade construída, suspensão da concessão pública e perda da concessão pública.

**

O governador João Azevedo sancionou lei que proíbe corte de luz e água nos finais de semana e feriados.

**

E as drogas apreendidas com militar no avião da FAB na Espanha?

**

E o puxão de orelhas dado por Dória em Bolsonaro por causa da corrida de fórmula um?

**

O negócio tá feio.

**

E vai feder.

**

Ora se vai!

**

E lembrando o saudoso Boca Quente: Eu quero é ver o mar pega fogo, pra comer peixe assado.

**

Hoje é quarta, tem futebol e tem João do Bar de João.

**

Mais tarde nóis vorta.

13 Comentário On As primeiras do dia

  • A AJUJE medindo força, 30 juízes defensores de corruptos, enquanto mais de 270 São a favor de quem prendeu o corrupto. Isso mostra que o povo pode acreditar que a maioria esmagadora da justiça é contra a corrupção.

    • Só que o corrupto-mor, aquele que denegriu o próprio judiciário, continua a ser saudado
      por gente que deve pensar e agir igual a ele. Por que quem é contra a corrupção, de verdade,
      não procura justificar o injustificável: as atitudes do ex-herói”

      Mas o interessante mesmo é o fato da grande mídia, exceção da Globo, é claro, estarem todos
      firmando parceria com o The Intercept. Por que será?

      E ontem o filho 02 já deu sinais de que o Moro já não serve aos interesses do bolsonarismo.

    • Palavras do Flávio Dino, ex-juiz federal, e atual governador do Maranhão, respondendo
      a pergunta dos apresentadores do programa Ponto a Ponto, na BandNews, a respeito
      do manifesto assinado pelos 270 juizes: – “Isso que dizer que 15 MIL JUÍZES FEDERAIS
      NÃO ASSINARAM”.
      Fechou o pano!

  • José Jackson, Serra Branca - PB.

    O projeto do Deputado Walber Virgulino está corretíssimo. Se uma coisa começa com uma ação ilegal, ela não pode querer que os órgãos públicos – ou as concessionárias ou permissionárias – atuem de modo a corroborá-la.

    • O deputado poderia ter incluído no projeto que os imóveis abandonados pelos proprietários,
      ou objeto de latifúndio urbano, não serão amparados pela lei.
      Ou será que ele está mais preocupado em defender os latifundiários urbanos e rurais?

  • É Tião, não foi dessa vez que Mané Inacio, aquele cachaceiro “corruto”, como dizia o finado Anacleto saiu da cadeia. Quem sabe na próxima. kkk

  • Em 64 passamos por uma ditadura onde a imprensa era amordaçada quem viveu naquela época se lembra bem, pelo visto estamos voltando infelizmente, Paulo Henrique Amorim que o diga

  • Acredito que o Prefeito Ricardo Pereira fará companhia à Dominguinhos numa cela. A farra com o dinheiro público é grande e escancarada. Quem, há pouco mais de dois anos, pilotava uma moto, hoje desfila em carro importado, possui chácara com estrutura milionária e casas de alto valor. O Prefeito não paga a ninguém e planta nas mídias mentiras, passando a imagem de um gestor honrado.
    Nenhuma mentira se sustenta o tempo todo. O caso de Moro e Dallagnol é uma prova disso.

  • A fala do Gleen Greenwald na CCJ da Câmara Federal foi não só um exemplo de jornalismo,
    mas também uma aula de dignidade, de amor pelo Brasil.
    Pena que os deputados do PSL não compareceram para aprenderem como age alguém
    que realmente coloca o BRASIL ACIMA DE TUDO!

    Greenwald mostrou o que é ser um Homem de verdade.
    Não importa a sua opção sexual.

    Mostrou com a sua fala calma e serena, que a Verdade tem força por sí mesma.
    E que não precisa fazer gestos (ridículos) de arminha, e nem de gritos que falseiam o
    caráter de uma pessoa.

  • Do Fernando Brito:

    À espera da jamanta ou ‘similia smilibus curantur’
    Por Fernando Brito · 26/06/2019

    Logo nos primeiros dias depois do escândalo provocado pelas revelações do The Intercept Brasil, numa participação numa entrevista realizada pela TVT, respondendo a uma pergunta sobre se os acontecimentos poderiam levar a Justiça brasileira a voltar a um quadro de normalidade – o que implicaria a anulação do processo do triplex, pela evidente parcialidade do juiz Sérgio Moro – dise não acreditar que isso pudesse acontecer rápido. E usei uma imagem: saímos tanto do caminho que não será um simples choque que nos fará voltar a ele, que seria preciso que uma jamanta abalroasse o Judiciário brasileiro.

    Ontem, com o julgamento dos habeas corpus de Lula e com a sabatina ( com direito a lances de horror explícito) tive a nítida impressão de que, afinal, a jamanta se aproxima.

    Parece que as manifestações de Green Greenwald sobre novas revelações bombásticas e a de Celso de Mello sobre o impacto destas no caso poderiam ser ser resumidas com a mesma frase: “Sim, mas ainda não”.

    Mello, se não abriu a porta para Lula, também nao a tranncou. Ao postergar o adiamento da apreciação do mérito da suspeição evidente de Moro, o decano da corte pareceu querer dizer: esperem que isso se torne evidente para todos e ajude a tornar politicamente palatável a decisão necessária. Celso de Mello é um conservador, politicamente alinhado com os conceitos anti-PT, mas deixou claro que haverá um limite em sua tolerância aos abusos do ex-juiz de Curitiba.

    Greenwald, enquanto demolia o PSL impiedosamente na Câmara, não fez não antecipou revelações e deixou como ponto central de suas falas o fato de que a entrada da Folha no caso – e em breve, de outro veículo “de direita” – vão demolir o argumento de que o “Morogate” possa ser uma simples “armação” esquerdista para beneficiar Lula.

    O jornalista mostrou que está há tempo suficiente no Brasil para entender que aqui a busca da verdade é um pequeno detalhe perto da manipulação de imprensa e Justiça por interesses. É como se Davi compreendesse que precisa da ajuda de alguns brutamontes para enfrentar Golias.

    Aliás, a forma e o número de vezes que Glenn se referiu à revista Veja são suficientes para que se imagine que é a revista o novo parceiro estratégico do jornalista. uma destas ironias que só no Brasil de Augusto dos Anjos se poderia imaginar: a revista que erigiu a imagem de deus do juiz de Curitiba ser aquela que pode acelerar seu caminho para a fogueira das inutilidades.

    Para o recente gosto do ministro Moro pelo latim, similia similibus curantur, os semelhantes curam-se pelos semelhantes.

    O fato é que, não tendo se tornado avassaladoras, as fogueiras que ardem no caso Lula seguem acesas embora ainda não altas o suficiente para imolarem Sérgio Moro.

    Tudo indica que em breve subirão.

  • Por favor me tirem uma dúvida. O que as drogas que segundo o ministro da educação deveriam estar nas universidades, estavam fazendo no avião da presidência da república?

    • Estavam lá para provar que uma “mula qualificada” tem sempre passe livre.
      E mais ainda que “os aviões do governo venezuelano com as suas cargas de
      drogas” (palavras do deputado Eduardo Bolsonaro) estão bem aqui no nosso
      quintal, e são brasileiros.
      Cabe ao Gabinete de Segurança Institucional dar as explicações devidas.
      Sem murros na mesa ,de preferência.
      Pelo menos há a certeza de que a polícia espanhola agirá de forma
      severa (na forma da lei) e, quem sabe, nos revele até os nomes dos
      outros implicados.

      A lamentar, mais uma vez, a exposição negativa do país. Justo quando
      o ministro da justiça diz ter ido aos Estados Unidos assinar acordos de
      combate ao tráfico de drogas, a polícia espanhioa encontra 39 quilos de
      cocaína num avião da comitiva presidencial.
      Que ironia!

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste