Cartaxo e Romero estão feito o gato e o rato, brigando para ver quem fica com o queijo

Os prefeitos Luciano Cartaxo e Romero Rodrigues resolveram partir pra briga e briga de rua, daquelas em que os contendores ficam rasgados, assanhados e vertendo sangue. Claro que, como dois cidadãos civilizados, eles botaram no ringue os seus representantes, seus porta-vozes. Do lado do prefeito de Campina, o escolhido para a guerra foi o radialista e blogueiro Milton Figueiredo. Cartaxo escalou o recém retornado de giro pela Europa, Heron Cid.

E a faísca rolou.

O primeiro a atacar foi Milton. No seu blog, o carinhosamente chamado de Miltoca carregou nas tintas. O menor nome que chamou com o prefeito da Capital foi o de insano. E, segundo os que conhecem de perto a linha editorial dos tucanos, o texto parece ter sido ditado, letra por letra, palavra por palavra, por alguém da cúpula.

Confiram o artigo de Miltoca atacando Cartaxo:

A ansiedade de Cartaxo parece insanidade, mas tem explicação 

Tem-se acompanhado nos últimos meses uma grande ansiedade do prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, em ter o seu nome oficializado como o candidato único da oposição para disputa do Governo da Paraíba, em 2018.

O prefeito da capital chega até a se expor quando faz algumas declarações, como algumas que falou recentemente: “eu não me responsabilizo” ou “não digam depois que eu não avisei”.

Por que, de repente, Luciano passou a se sentir uma espécie de SOL onde tudo tem que gravitar em torno dele?

É como se fosse arrogante e desesperado ao mesmo tempo. Parece até que a vida de Cartaxo depende disso daqui pra frente!

E o pior é que depende.

Numa leitura muito rápida percebe-se que, politicamente, Cartaxo não tem vida própria.

Se o prefeito de João Pessoa não pegar o embalo nessa eleição e se posicionar em algum cargo, principalmente que tenha a caneta com muita tinta, ele pode estar praticamente morto.

Ele pode até fazer um certo charme e dizer que vai ficar, que está muito bem, não está mais nem aí pra nada, mas no fundo mesmo ele vive dias de pavor.

Então vejamos:

Acabado o mandato de prefeito, que tem o segundo maior orçamento do Estado, onde existe a possibilidade de carregar numa grande sacola cobras e lagartos, Cartaxo passaria a ficar isolado, pois ele não tem grupo.

Não teria partido, não teria legendas, não teria caneta, sem falar de apoio político algum como deputados estaduais, federais, senadores, etc.

A situação política de Cartaxo seria tão complicada que ele não teria sequer vereadores.

E o momento crítico claro que tem explicação: depois que Luciano implodiu o grupo do PT, que o carregou nas costas e o elevou a ser o candidato do partido, por cima de pau e pedra, na sua primeira disputa à Prefeitura de João Pessoa, numa composição com o ex-prefeito Luciano Agra e Nonato Bandeira, onde construíram uma vitória histórica, claro que todo mundo passou a olhar para Cartaxo com desconfiança!

Nomes como Charlinton Machado, Anísio Maia, Rodrigo Soares,Gilcélia Figueiredo, Frei Anastácio, Jackson Macedo, entre outros, não devem ter ficado felizes.

Até o velho ANDERSON PIRES, que bancou muita coisa, que carregou muita coisa nas costas, levou um BALÃO histórico.

Por isso que antes de criticar é bom tentar refletir:

Afinal onde está o grupo político de Cartaxo? Quais são os nomes?

Ele tem apoios de prefeitos pela Paraíba?

Ele goza de alguma credibilidade fora do alcance da Prefeitura de João Pessoa?

Será que, se retirando a caneta da capital, Luciano Cartaxo pode realmente elevar o tom e dizer o que quiser, falar grosso com quem quer que seja?

A resposta o leitor já tem!”

Opinião  – Jornalista MILTON FIGUEIREDO

https://goo.gl/xTtZup

A resposta de Luciano Cartaxo não demorou. Através de Heron Cid ele mandou dizer:

Vídeo: fogo amigo queima filme da Oposição

5 de Fevereiro de 2018 às 17h40

Em público, líderes da Oposição falam romanticamente em unidade.

No reservado, o fogo amigo queima lenha da desconstrução de concorrentes internos.

As chamas são sopradas por todos na tentativa de queimar pretensões alheias.

Mas é bom ir devagar com o andor. No final da brincadeira, todos podem se queimar.

Confira nosso comentário em vídeo de hoje, na volta das férias:

Confira o vídeo de Heron em defesa do prefeito da Capital:

2 Comentário On Cartaxo e Romero estão feito o gato e o rato, brigando para ver quem fica com o queijo

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste