DOMINGUEIRAS DO TIÃO

CUSCUZ SEM PAULO

E a cadeira dele ficou vazia mais uma vez. Foi neste sábado, na feira da Torre. Sentados e reverenciando a memória do grande ausente, estávamos lá, torando um cuscuz com bode e bebendo uma cachaça trazida de Pernambuco por Renato Conserva, o próprio Renato, seu irmão Emanuel Arruda, Tadeu Florencio, o genro dele, Luciano Arroz, eu e o poeta Sebastião Gerbasi, que nos brindou com esta quadra em homenagem ao eterno Paulo Mariano:

Passei um mês inteirinho
Arquitetando esse plano:
Chegar à feira da Torre,
Assumir o desengano,
Tomar meu café contente,
Mas, onde vi tanta gente
Faltou Paulo Mariano!
 

 

A FESTA DE PRINCESA

Alguns falaram, mas compreensivelmente estão perdoados, porque agiram assim movidos pelo ciúme. O ciúme é uma coisa horrorosa. Além de diminuir quem o sente, causa dores, principalmente no cotovelo. Mas com ciúme e tudo, não se há de negar o brilho que teve a festa de emancipação política de Princesa, sexta, na Estrela da Lagoa da Perdição.

Sem exagero nenhum, tinha pra mais de cinco mil pessoas.

Quem duvidar, pergunte aos irmãos Hervásio e Odon Bezerra, ao deputado Hugo Motta e a quem encontrar pela frente.

O prefeito Ricardo Pereira está de parabéns.

 

FARRA COM ZÉ DUARTE

Programamos para janeiro aquele encontro eternamente adiado entre eu e Zé Duarte, na sua bela vivenda da Pedra do Urubu, regado a cachaça, uísque, cerveja e fava com tripa, bucho, mocotó e rabada.

Como sei que Zé é exagerado, aviso logo que vou passar três dias sem comer somente para chegar lá com as tripas devidamente desembaraçadas.

 

NA FAZENDA DE VAVÁ

Já passava das 8 noturnas quando chegou a mensagem do incalculável Vavá da Luz, me intimando a lançar meu novo livro, “Nos Tempos de Jornal”, na sua fazenda Senzala, em Ingá.

Aliás, este lançamento na Senzala já virou tradição.

Meus outros livros foram todos lançados lá.

Com a vantagem: Quem lança e quem compra come e bebe de graça. O anfitrião paga a conta.

 

O GRANDE HOMENAGEADO

Meu grande homenageado da semana é Chico Pinto. Aniversariou dia 19, chegou aos 67 anos tinindo de novo, depois de velho ficou rico, virou empresário e garante que ainda pega na chave.

Nossa amizade é curta, tem apenas 41 anos.

Mas um dia ela ficará antiga, tenho certeza.

 

OLHA O GALÃ

Será um pistoleiro do oeste americano, prestes a se encontrar com o rival e enfrenta-lo empunhando o famoso Colt 45? Pela cara e pelo jeito, é. Mas não é tanto. Ele é da puliça, é delegado, mete cabra ruim na cadeia, se o desafiarem topa a parada, é neto de Ronco Grosso, mas no íntimo do mais íntimo é um poeta açucarado que fala bonito e escreve mais bonito ainda.

Aldo Lopes pra vocês.

5 Comentário On DOMINGUEIRAS DO TIÃO

  • Grande Aldo Lopes. Colega de trabalho que com sua poesia e jeito de ser, faz a diferença. Ave Aldo!

  • Tuta, vc faz parte da minha história e das minhas estórias.

  • As “domingueiras” estão imperdíveis, Tião! Só em lembrar Aldo Lopes (o poeta-jornalista paraibano que se fez delegado no Rio Grande do Norte) e homenagear Chico Pinto já valeu a pena.
    Sim, e o “não se há de negar o brilho” no item referente à Festa de Princesa (no quarto parágrafo do segundo texto da coluna), me fez relembrar uma regra antiga do português que aprendi no início da minha vida escolar: o não atrai para si o pronome relativo. Abraço!

  • O Kim Kataguiri querendo ser presidente da Câmara Federal? Pelo visto o partido dos Bolsonaro
    tem tudo para virar um campo de constante “fogo amigo”. E o quê será, então, que, o também
    eleito deputado federal, Alexandre Frota irá querer assumir, hein? Aposto que a Comissão de
    Constituição e Justiça, uma das mais poderosa das comissões. A pauta defendida por ele, todo
    mundo lembra qual é.
    A Janaína Paschoal, eleita deputada estadual em SP, já quer também ser presidente da Assembleia
    Legislativa. Dizem que sem muita chance.
    Os novatos estão, ou não, indo com muita sede ao poço?
    Por outro lado, o time dos lobistas em Brasília terá um aumento considerável de membros, com
    a “chegada” dos ex-políticos que perderam seus mandatos. Muitos já são PHD na área.

  • Tião com essa barba tá parecendo com o pastor Estevão Fernandes

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste