Ibaneis: “O Judiciário brasileiro precisa ser depurado”

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), criticou nesta quarta-feira (12/06/2019) o conteúdo das conversas vazadas entre o ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, nas quais ambos discutiam detalhes da Operação Lava Jato na época em que o titular da Justiça e Segurança Pública era juiz federal. Para o emedebista, Judiciário e Ministério Público não podem “tramar condenações”.

“Certamente, o Judiciário brasileiro vai ter de ser depurado. Não podemos ter um Judiciário que vive aliado ao Ministério Público, tramando para poder condenar as pessoas. Esse é o tipo de condenação que não favorece quem vive na democracia”, afirmou Ibaneis.

Na avaliação do governador, o vazamento publicado pelo site The Intercept no domingo (09/06/2019) expõe dois crimes. O primeiro é o da invasão nas contas de aplicativos pessoais do então juiz Sergio Moro com o coordenador da operação, o procurador Dallagnol. O segundo é a suposta relação ilegal entre investigadores e o magistrado responsável por sentenças do processo.

Ainda de acordo com o governador, “por mais que os culpados tenham realmente cometido crimes, isso gera uma dúvida muito grande no processo”.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste