Ivonete reedita ‘palhaçada’ de 2018 e justifica nova reforma em rede elétrica da CMCG para dar-se a si e aos outros edis mais 10 dias de férias

Marcos Maivado Marinho

Dando reiteradas provas de ineficiência gerencial, com o que o conceito da Casa que preside se mantém péssimo perante a opinião pública campinense, a vereadora Ivonete Ludgério (PSD) acaba de premiar seus desocupados pares com mais 10 dias de descanso, repetindo a  mesma ultrajante prática do ano passado quando, utilizando a mesma justificativa de agora, esticou o recesso parlamentar por 11 dias.

A Câmara Municipal de Campina Grande retornou segunda feira do recesso parlamentar e vai novamente fechar suas portas a partir da próxima desta segunda-feira (18), sob a justificativa da necessidade de reformar o prédio na sua parte elétrica.

Para não despertar reações críticas da sociedade, Ivonete encomendou um laudo técnico da rede elétrica do prédio e este apontou como resultado o objeto da encomenda – a possibilidade de incêndio na Casa de Félix Araújo, havendo a necessidade da instalação de uma subestação elétrica (225KVA) no local.

Em 2018, não contente com as constantes “férias” dos vereadores campinenses, que além de esticarem o recesso parlamentar como o fizeram em 2017 valendo-se dos dias anteriores e posteriores ao Carnaval ainda se davam ao direito de se ausentarem em sua maioria quase que rotineiramente das sessões ordinárias, a presidente do Legislativo encontrou um novo jeitinho para dar-se a si e aos companheiros mais 11 dias de folga e a alegação foi de que constantes quedas de energia, principalmente durante as sessões ordinárias, alertavam para a necessidade urgente de reparar o sistema elétrico da Casa e assim evitar problemas de natureza mais grave, como também garantir a segurança de quem trabalha e frequenta a edificação.

A reforma aconteceu, dinheiro público foi investido, os vereadores descansaram bastante e agora, um ano depois, o mesmo problema aparece como justificativa para as novas férias.

De acordo com Ivonete Ludgério, somente o plenário da Câmara Municipal de Campina Grande não precisará de reforma. No entanto, todos os outros espaços da casa estão com a fiação comprometida, mesmo tendo ocorrido a ampla reforma em 2018. Ela diz que agora hpá a necessidade de adquirir um transformador, além de ser construída uma subestação elétrica para suportar toda a carga de energia que o prédio demanda.

No embuste do ano passado e numa tentativa de minimizar a repercussão negativa do ato, Ivonete deliberou que no período acontecesse um treinamento de vereadores, funcionários, assessores parlamentares e chefes de gabinetes para o uso da plataforma do “Sistema de Apoio ao Processo Parlamentar (SAPL)”, programado para os dias 05, 06 e 07 de março na Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia.

A negligência de Ivonete, que na realidade se traduz em prêmio aos já criticados edis de Campina Grande, significa prejuízo para a comunidade uma vez que no Município existem vários outros locais onde a Câmara poderia realizar as sessões deliberativas enquanto seu prédio estivesse em reforma. Aliás, hoje o vereador Lucas Ribeiro (PP) protocolou ofício solicitando a Ivonete que determine a realização de sessões ordinárias em outro recinto enquanto as reformas estejam em execução, mas ela sequer deu resposta ao documento.

Ivonete infiram que desta vez será realizada “uma ampla reforma de toda a parte elétrica e instalada uma subestação elétrica (225KVA) no prédio”. Diz que após o retorno do recesso parlamentar foi feito um processo licitatório para contratar uma empresa para realizar o serviço e fornecer os equipamentos; que a Eletroluz Comércio de Materiais Elétricos, de Campina Grande, foi a vencedora.  Informa ainda que um laudo preliminar constatou vários problemas na rede elétrica, inclusive risco de incêndios, e atestou a necessidade urgente da reforma. O contrato firmado na licitação foi no valor de R$ 38.500,00.

“Com exceção do plenário, todos os outros espaços da Casa estão com a fiação comprometida. O engenheiro que fez a inspeção constatou que o prédio corre risco de incêndio, principalmente na parte de baixo, onde se encontra o arquivo. Decidimos então fazer a reforma urgente, seguindo as recomendações, antes que aconteça um problema mais grave”, declarou Ivonete.

De acordo com a presidente, não haverá prejuízo no tocante à realização das sessões, pois as mesmas serão repostas no recesso no meio do ano. “Todas as sessões que seriam realizadas nesse período serão repostas no recesso do meio do ano. Não vamos deixar de fazer nenhuma sessão, vamos apenas adiar. Após a reforma vamos também retomar as sessões à noite”, explicou Ivonete com pouco convencimento.

DEPOIS DO CARNAVAL

Os dez dias destas férias adicionais terminam no dia 27 deste mês, uma quinta-feira. A sexta, dia 28, não tem sessão ordinária e a semana seguinte é a do Carnaval, o que importa dizer que o retorno dos vereadores ao trabalho somente acontecerá na terça-feira 12 de março.

2 Comentário On Ivonete reedita ‘palhaçada’ de 2018 e justifica nova reforma em rede elétrica da CMCG para dar-se a si e aos outros edis mais 10 dias de férias

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste