Peça desculpas, senador!

Eu não sabia que política era uma profissão. Até então, achava que a pessoa participava da política para servir a pátria e ao povo, nela entrando para cumprir uma missão e dela saindo após a missão cumprida.

Mudei de pensar hoje, após ler a entrevista do senador Cássio Cunha Lima.

A pretexto de justificar o forte laço familiar na chapa da oposição que ele integra ao lado de um monte de parentes, o senador disse que isso é muito comum nas profissões.

E elencou:

Você vai para um escritório de advocacia e é do pai e do filho; você vai num consultório médico, é atendido pelo pai e pelo filho, foi assim na minha cirurgia. Você vai nas artes, famílias inteiras de atores e atrizes”

Só que o advogado estuda cinco anos para se formar e só tem sucesso se for bom. O médico passa cinco anos na universidade, ainda faz residência e sofre pra caramba até chegar o reconhecimento. O ator, a atriz, o pintor e a pintora não são eleitos pelo povo, se fazem.

Na política, pelo contrário, coronéis sem farda se perpetuam no poder e escolhem a dedo os filhos, os irmãos e as esposas para não deixar o reinado afundar. O próprio senador é pai de um rapaz que teve como seu primeiro emprego um mandato de deputado federal. Qual o filho de Deus, por mais talentoso que seja, por mais estudo que tenha feito, chegaria a tanto se não tivesse um pai puxador de votos?

Claro, eles estão lá porque o eleitor assim quis.

Mas todos sabemos que o eleitor é um inocente útil que elege ídolos de barro como seus guias.

O senador já foi mais inspirado. Nesse caso das comparações, avaliou por baixo esses tão importantes profissionais.

Ele deve um pedido de desculpas aos médicos e aos advogados.

Fica a dica.

14 Comentário On Peça desculpas, senador!

  • Em que pese a análise de Tião Lucena peço vênia para acrescentar algumas informações sobre o que declarou o senador Cassio Cunha Lima que, acredito ser de grande utilidade para o eleitor que vai votar na próxima eleição: “Você vai para um escritório de advocacia e é do pai e do filho; você vai num consultório médico, é atendido pelo pai e pelo filho, foi assim na minha cirurgia. Você vai nas artes, famílias inteiras de atores e atrizes”.
    Acontece que nessas áreas de iniciativa privada o pai tem a certeza de que o filho assimilou devidamente os conhecimentos e tem todas as condições de administrar o negócio na ausência do pai. Na política, infelizmente os filhos copiam os piores hábitos das velhas raposas.
    Na iniciativa privada o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) coíbe sistematicamente a concentração da produção de bens ou serviços em mãos de poucas firmas, justamente porque sabe que isto implica em poder de mercado, ou seja, preços cobrados acima do custo marginal.
    Ora, se a concentração de poder não é permitida sequer na iniciativa privada, por que motivos seria tolerável a concentração do poder público em mãos de grupos familiares como defende o senhor Cássio Cunha Lima?
    Aliás, os órgãos de regulação do processo eleitoral como TSE e TER’s estão bastante atrasados em relação a essa matéria quando deveriam punir severamente o abuso de poder de grupos patrimonialistas que tratam a coisa pública como um bem intangível de seu patrimônio particular, daí o nome de patrimonialistas.

  • Enquanto o povo paraibano tratar político como ídolo, e eleição como cordão encarnado e cordão azul, figuras como essa vão fazendo carreira política até o fim da vida.

  • Tião, releve isso, o pai dele, o fez deputado federal aos 22 anos!!!!

  • É o escarro do meu membro se multiplicando.

  • Será Tião que em algum cabare é possivel encontrarmos mae e filha ?

  • Normal, natural os posicionamentos de Cassado Cunha Lima, com sempre tratando o povo como imbecis, até agora nada fora do contexto!!!
    Como ele diz:
    Beijo pra quem é de beijo.
    Abraço para quem é de Abraço.

  • Porque vc nutre tanta raiva do senador?????!!! Será porque vc vive atualmente no reinado do REI RICARDO COUTINHO? Na vida devemos respeitar, amar e nunca ter inveja!!! Tente se eleger e depois se for um bom político, tente fazer sua irmã prefeita ou vice de Princesa Isabel!! Seu irmão deputado federal, depois filhos e sobrinhos para continuar o legado!!! Eu tenho muita pena de vc, você tem muita inveja!! Pra vc o mundo deveria girar de acordo com os seus desejos! Respeite mais os outros, tudo o que vc deseja para os outros pode se virar contra ti!!! Peça a Deus perdão e comece a mudar seu jeito!!! Certeza que vc não vai postar, até porque só posta i que te agrada, não fosse educado ou nascesse com o coração e a mente preparada para o contraditório!!!

  • Rua Custódio Serrão

  • Cildani Liete de SOUTO

    É muito simples, só o paraibano não votar, em Oligarquias. Ex os MOTAS E os Wanderley em Patos, Os próprios Cunha Lima em Campina Grande, Os Maranhão em Cacimba de Dentro( Se não me falha a memória, e pelo Estado todo.

  • Go = GO + L = GOL + PI = PI + S = PIS + Ta = TA = G O L P I S T A ! ! ! !

  • Idolos que dao certo, idolos trabalhadores, que não roubam nem deixam roubar.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste