Porque hoje é sábado

1 – A turma que endeusa o “Mitoooo” com certeza vai botar a cara de fora e dizer que ele não disse o que disse e que o que foi ouvido não foi exatamente o que foi ouvido.Conheço a turma, é criativa, fanática, apaixonada, tem deles que só não morre pelo presidente porque o presidente anda muito ocupado com a diplomacia americana e não tem tempo a perder “com os paraíba” de cá. E ademais, o homem tomou gosto pelos stranjas e depois que aprendeu a dizer “taokey” só quer ser as pregas do Véi Kelé.

2 – O deputado Julian Lemos apareceu nas redes sociais ao lado de um figuraço campinense e, na foto, há uma legenda anunciando os dois como futuros candidatos à Prefeitura de Campina Grande. Taí, gostei, disputando na Serra o deputado Lemos terá a oportunidade de enfrentar um Veneziano lambendo uma rapadura para dar-lhe uma surra de votos. Será que Romero deixa ele ser candidato?

3 – Resposta de João Azevedo ao ataque de Bolsonaro: Condenamos toda e qualquer postura que venha ferir os princípios básicos da unidade federativa e as relações institucionais deles decorrentes. Os estados da Paraíba e do Maranhão precisam da atenção do Governo Federal independentemente das diferenças políticas existentes”.

4 – O Ministério Público está apurando direcionamento em licitação na Prefeitura de Campinna Grande. Meninos, vos digo, a Prefeitura de Campina precisa ser benzida. Todo santo dia aparece uma denúncia. Ora é emprego em banda de lata ofertado a amigos e parentes, ora é licitação dirigida, ora é isso e ora é aquilo. Uma coisa muito danada, muito encrencada, muito enrolada, muito esculhambada.

5 – A bela e competente prefeita Ana Lorena poderá disputar a reeleição enfrentando o ex-noivo. Inicialmente seria a ex-cunhada, mas deu chabu e o ex-noivo estaria se preparando para a labuta. E com certeza nenhum dos dois dirá “y love you” para o outro.

6 – Sou paraiba com muito orgulho. Sou nordestino sim senhor. E se não tivesse nascido aqui, entraria na justiça para mudar pra cá. Esse povo do sul não sabe o que é ser nordestino. É um povo metido a besta que desconhece a bravura de nossa gente e do nosso chão. O carioca Jair Bolsonaro vai ver o que é ser paraiba nas eleições vindouras. Deixa ele aparecer por aqui.

7 – Lembrar que Bolsonaro nunca gostou de nordestino. Na campanha ele ofereceu capim pra nós. Pena que por aqui ainda existam uns idiotas que endeusam esse cara cheio de preconceitos e de idiotices. Mas a luz do fim do túnel se avizinha.

8 – Marcos Pinto e Marcos Pires são dois Marcos arretados. O primeiro é o mágico do pincel, o outro o mágico das leis, ambos os dois que não são três, os mágicos do humor e, para fechar o firo, gostam de uma farrinha, porque ninguém é de ferro. Sim, o Pires precisa, para ficar mais completo, imitar o Pinto e aparecer no Mercado da Torre para torar um prato de cuscuz com bode. De preferência ao lado da namorada, como Pinto costuma fazer.

9 – O denuncismo corre frouxo em blogs regiamente financiados por determinada Prefeitura. Reputações são atiradas no esgoto e tudo fica por isso mesmo. Ainda bem que o advogado Francisco Ferreira chamou o feito a ordem e repôs a verdade naquele caso da casa de determinado ex-secretário. Mas o abuso continua.

10 – Daqui a pouco vou procurar um bodinho pra comer. De preferência o quarto traseiro,que é mais carnudo e macio.

11 – E agora lá se vão meus abraços sabadais para Antenor Navarro, Zé Américo, Zé Pereira, Poncio Pilatos, Jesus Cristo, Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Machado de Assis, Zé Alencar, Jorge Amado, Antonio Carlos Magalhães, Ulisses Guimarães, John Kennedy, Margareth Teatcher, Victor Hugo e finado Pão com Ovos.

12 – O difícil balanço entre família e trabalho parece ter sido restabelecido no lar de Jair Bolsonaro, após um fim de semana conturbado pelo anúncio de uma possível indicação de seu filho Zero Três, Eduardo Bolsonaro, à vaga de embaixador nos Estados Unidos. A complicação para o presidente não veio das muitas críticas da imprensa e do corpo diplomático, e sim da reação do pequerrucho Zero Dois, o vereador, digital influencer e menino-problema Carlos Bolsonaro.

Foi um embate diplomático tão ou mais complicado que a Crise dos Mísseis entre Estados Unidos e Cuba na Guerra Fria”, explicou o porta-voz do governo, Otávio Rêgo Barros. “Mas o problema foi resolvido quando o futuro embaixador Eduardo abriu mão de seu PlayStation em favor do vereador Carlos. E ainda há quem diga que ele não está preparado para a diplomacia.”

Questionado sobre um possível nepotismo na premiação do filho, Jair Bolsonaro reagiu com indignação: “Ele já trabalhou em lan house, já fritou muito ministro. Tenho certeza que tem capacidade pra assumir o novo videogame, tá ok?”(tirado da internet)

14 Comentário On Porque hoje é sábado

  • Desses governador “paraiba”, o pior que tem é o do Maranhão! Não foi dito nada contra o governador da Paraíba. O resto é mimimi e choromingado dos perdedores!!!!!!!

  • Edmundo dos Santos Costa

    O QUÊ ESPERAR DE UM MENTECAPTO NO PODER, CERCADO DE CRETINOS ? AINDA ESTOU ACHANDO POUCO!

  • EITA TIÃO:
    A turma que endeusa o “Mitoooo” com certeza vai botar a cara de fora e dizer que ele não disse o que disse e que o que foi ouvido não foi exatamente o que foi ouvido.Conheço a turma, é criativa, fanática, apaixonada, tem deles que só não morre pelo presidente porque o presidente anda muito ocupado com a diplomacia americana e não tem tempo a perder “com os paraíba” de cá. E ademais, o homem tomou gosto pelos stranjas e depois que aprendeu a dizer “taokey” só quer ser as pregas do Véi Kelé.
    COM CERTEZA A RESPOSTA ESTÁ NA PONTA DA LÍNGUA, VÃO DIZER QUE O ÁUDIO NÃO É PROVA PORQUE FOI CONSEGUIDO ILEGALMENTE, MESMO COM TESTEMUNHAS RELEVANTES, UM MONTE DE JORNALISTAS INTERNACIONAIS, KKKK!!!

  • Interessante é perceber que ainda existe muita gente insatisfeita com o fechamento da torneira que alimentava a grande parte da imprensa marrom…
    Não vejo os seguidores do presidiário Lula da Silva falar nada sobre a desonestidade racionalizada pelos que se diziam esquerdistas brasileiro…
    Independente de lado político…o nosso Presidente está trilhando em areia movediça…são muitas bocas abertas atrás de mamar nas tetas que outrora alimentava os pseudos sinceros patriotas…
    Não sou político…
    Apenas um cidadão comum…
    Avante Brasil…

  • Resposta do governador do Maranhão, Flávio Dino, às palabras do Bosolnaro:

    “Só sei que sou o pior dos gestores na visão dele, o que para mim é uma honraria”.

    Para Dino, que foi juiz federal e presidente da associação que representa esta classe de magistrados, confirmada a referência pejorativa à região, Bolsonaro pode ter incorrido em crime de preconceito regional, equiparado ao de racismo.

    Há, ainda, na ordem dada para “não ter nada para esse cara”, espaço para apontar desvio de finalidade na gestão por quebra de impessoalidade.
    ( Fonte: blog do Eduardo guimarães

  • Postagens no Twitter:

    1. Do jjornalista Kennedy Alencar:

    Racista, ignorante, mentiroso, autoritário, nepotista, persecutório, mal-educado, despreparado… que absurdo presidencial vamos naturalizar hoje? Chamar de “polêmicas” ou de “críticas” está ficando insustentável. Normalizar absurdos é como as democracias morrem

    2. Fo jornalista André Trigueiro (Globo)

    Sou filho de paraibano,
    Sou jornalista,
    Sou professor,
    Sou ambientalista,
    Sou brasileiro!
    Que fase…
    12,9 mil
    23:39 – 19 de jul de 2019

  • Postafem do Bolsonaro, no twitter, ontem:

    Jair M. Bolsonaro

    @jairbolsonaro

    – “Quando o homem não tem mais ambição deve comprar um lote no cemitério.”

    19,7 mil
    23:10 – 19 de jul de 2019
    ________________________________________________________________________________________________________________

    EU RESPONDO: E QUANDO É ALGÚÉM INDIGNO DE SER CONSIDERADO HUMANO?

  • Que não saibam o que é a Paraiba, deixem nós no paraiso, muita gente deixa a vida mais dificil. Quem não conhece bem nosso estado acha que aqui só tem a seca kkkk. Enquanto isso os deveres com os estados tem devem ser jonrados.

    • Que não descibram o paraiso aue é nosso estado, deixem essa vida boa pra nós. Enquanto isso os deveres com os estados da federação devem ser honrados. Quem não conhece a Paraiba acha que aqui só tem a seca kkk.

  • Um pouco de humor:

    Do Diàrio do Bolso? Publicado por José Roberto Torero 19/07/2019 10:31

    200 dias!

    Canta comigo, Diário: Parabéns, para mim, nesta data querida, muitas felicidades, duzentos dias de vida!

    Pro Bolso, nada! Tudo!

    Duzentos dias, Diário! Hoje é meu aniversário de duzentos dias!

    Dos cem primeiros eu nem vou falar, porque até já fiz um livro sobre eles. Mas vou fazer um resumo do centésimo-um até agora.

    Pra começar, liberei uma carrada de agrotóxicos. O pessoal de esquerda enche o saco pela liberação da maconha. Pois eu liberei coisa bem mais forte, tipo o cyprodinil, o piriproxifem e o Captain 500 WP, que deve ter esse nome em minha homenagem porque mata tudo mesmo.

    Nesse período eu fui um mão aberta. Cortei a insulina nos hospitais, mas soltei uma boa verba pro Milton Neves, pra Luciana Gimenez, pro Datena, pro Ratinho, pro Rodrigo Faro e pra Ana Hickmann falarem bem da reforma da Previdência. Sem falar nos bilhões que eu liberei pros deputados votarem a favor do texto-base. A minha Nova Política parece que usou aquele aplicativo que deixa todo mundo velho, kkkk!

    Uma coisa ruim foi que teve uns vira-casacas que começaram a me criticar, tipo Lobão, MBL, Kim Kataguri, Marco Antonio Villa, Danilo Gentilli e Xerazade. Pô, eu faço tudo o que eu prometi e os caras me abandonam? Não dá para entender.

    Uma coisa que eu gostei foi que eu bati um recorde! O de desmatamento. Só nos 15 primeiros dias de maio foram 6.880 hectares. Verde, pra mim, só o Palmeiras, kkkk!

    Olha, Diário, por mim, eu enterrava o Ibama de uma vez. Mas, se ainda não matei, pelo menos deixei paralítico. Agora todo mundo lá só fica em volta do cafezinho, sem fazer nada. E eu despedi o cara que me multou lá em Angra, quando eu era deputado. É como diz aquela música: “Porque eu sou vingativo, vingativo…”

    Falando em demissão, mandei embora todos os onze peritos do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, acabei com um monte de cargo na Secretaria Especial de Saúde Indígena, dei cartão vermelho pro general Santos Cruz (porque ele brigou com o Olavo), pro general Franklimberg de Freitas, da Funai (porque ele gostava de índio), pro general Juarez de Paula Cunha, presidente dos Correios (porque ele criticou a privatização), e pro Levy (porque trabalhou com o PT).

    Falando em esquerda, resolvi dar uma enquadrada no pessoal de cinema. Pô, não é certo dar dinheiro público para fazer coisas como Bruna Surfistinha. E eu sei bem como é que é aquele filme, porque eu já vi umas dez vezes. Dinheiro público tem que ser para fazer filme da Record. Se fosse Maria Madalena Surfistinha, aí tudo bem.

    Outra coisa boa que fiz nesses cem dias foi viajar. Fui pro Chile, pra Argentina (duas vezes, porque lá tem churrasco), voltei pros EUA e fui para o Japão fazer propaganda de bijuteria de nióbio. Meu passaporte tá carimbadão.

    No tocante às crianças em geral, eu defendi o trabalho infantil e fiz um projeto para acabar com a cadeirinha.

    Já no tocante às minhas crianças, eu mandei embora todo mundo que brigou com o Carluxo, arranjei um emprego de embaixador para o Dudu (“Pretendo beneficiar meu filho, sim”), e o meu amigo Toffoli parou aquele processo que ia pegar o Flávio só por causa de umas rachadinhas. Fui um paizão ou não fui?

    Diário, um negócio que eu gostei foi me misturar com o povo. Fui ver jogo do Flamengo com o Moro (depois da #VazaJato, pra dar uma força pra ele, coitado), participei da Marcha para Jesus (fiz até arminha) e fui na final da Copa América. Aliás, lá no Maracanã eu levei a maior vaia da minha vida. E tava todo mundo de camisa amarela. Isso eu não entendi direito até agora.

    Enfim, Diário, grandes dias!

    Vamos para mais cem. Mas sem vaias, talkei?

  • Esse Bolsonaro é uma vergonha, despreparado, arrogante, mal educado estilo gentinha mesmo, respeite a Paraíba seu cabra de peia !

  • Do Fernando Vrito:

    O PRESIDENTE NÃO É “DOS PARAÍBAS”

    Jair Bolsonaro é, indiscutivelmente, um canalha.

    Sua declaração, em vídeo vazado hoje, de que os governadores do Nordeste são “os governadores dos paraíbas” e que, dentre ele, o “pior” é o do Maranhão, Flávio Dino – justamente o que tem os maiores índices de aprovação – é uma bofetada em mais de um terço dos que habitam este país, morando nos estados nordestinos ou na imensa diáspora que se espalha por todo o Brasil.

    Se os 8,8 milhões de eleitores do Nordeste – os “paraíbas” – que lhe deram o voto tivessem votado em seu adversário, Jair Bolsonaro não seria presidente da República. Menos ainda se os milhões de nordestinos espalhados pelo país soubessem que era para “não dar nada” à sua terra natal, castigada por séculos pelo sol, pela seca e pelas elites.

    Você, Bolsonaro, deveria ser o presidente de todos os brasileiros, inclusive dos brasileiros “paraíbas”, como meus avós paternos, alagoanos.

    Mas não é. É o presidente de uma camada de odientos, de recalcados, de imbecis que se amontoam para urrar selvageria.

    Bolsonaro já não é um caso de oposição política, é uma objeção moral para qualquer brasileiro que ame este país.

    • É triste ainda ver gente daqui defendendo o ato preconceituoso do presidente, a postura dele foi um exeplo pra lá de ilegal, uma afronta a nossa Constituição.

  • Foda é que ainda tem quem defenda! É sem dúvida um hipnotizador de idiotas, é inacreditável. Bolsonaro não tem condições de assumir cadeira de vereador aqui em Solânea-PB. Com certeza o trabalho do ex vereador o saudoso Zé de Duca é bem mais relevante.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste