Ricardo lembra que deputados que hoje pregam rompimento lhe diziam que João não emplacava

ex-governador Ricardo Coutinho se pronunciou pela primeira vez, nesta quarta-feira (11), sobre a crise no PSB da Paraíba. Em entrevista à Rádio Serra Branca FM, Ricardo questionou os colegas de partido que não aceitaram a sua ascensão à presidência da legenda, após a Executiva Nacional alçá-lo a líder da comissão provisória instituída após renúncia coletiva de membros do Diretório Estadual.

“Quer dizer que eu sirvo para eleger senador, governador que há quatro meses da eleição tinha 2% de conhecimento, para fazer uma bancada de 22 deputados estaduais três deputados federais, agora eu não sirvo para presidir o partido o qual eu construí ao longo desses anos todos? Tem alguma coisa que não se encaixa aí, alguma verdade que ainda não foi dita. Só lamento que alguns, não são todos, estejam realmente tentando uma postura que é de divisão, e é claramente e tradicionalmente daquela visão de ficar com o bolo maior”, disse.

Renúncia e novos rumos do partido

Para Ricardo, o ato de renúncia da maioria dos diretorianos do PSB foi democrático. Ele apontou que foi convencido a assumir o comando no Estado e começar uma reestruturação.

“Houve uma renúncia que é um ato democrático, um ato pessoal, e é um ato estatutário. Nos países que há parlamentarismo, quando a maioria do parlamento bota um voto de desconfiança, o governo cai. No partido é a mesma coisa, quando a maioria do diretório renuncia, a direção cai e cabe a instância superior, que nesse caso é a Executiva Nacional, nomear uma comissão provisória. Me convenceram a aceitar… fui escolhido por unanimidade”, continuou.

Coutinho afirmou que o partido, na gestão de Edvaldo Rosas, estava se ‘burocratizando’ e servindo para angariar cargos. Isso deve mudar, disse o ex-governador.

“Todos os membros da executiva nacional falaram e determinaram sua posição de que o partido precisa passar por um processo de renovação porque estava se burocratizando, perdendo o ritmo e ao mesmo tempo sendo visto apenas como um meio de angariar alguns cargos. Não é isso que quero para o PSB, o PSB é um instrumento de mudanças para a política da Paraíba”, declarou.

Posição dos deputados, ingratidão e deslealdade

A ascensão de Ricardo à presidência não é apoiada por ingratos e desleais, segundo o líder do PSB: “Não entendo que alguns de forma ingrata e desleal não concordariam com o meu nome para presidir o partido. A decisão está tomada, presidirei o partido por algum tempo, reestruturarei, estarei do lado dos nossos candidatos a prefeito, e esse é um compromisso meu, de vida”.

O ex-governador ainda alfinetou deputados estaduais que se posicionaram contra o seu nome na presidência e chamou de ‘ato mesquinho’ a ação dos partidários que recusaram participar da comissão provisória.

“Tem deputado falando aí pelo racha, mas lembro que era o que vinha falando para mim que João não decolaria, e eu sustentei a pisada. E hoje estão falando para envolver o governo e controlar o governo… Não há nenhum problema a quem não queria. Só tenho a lamentar porque acho um ato mesquinho. A executiva deu quatro vagas, e essas pessoas nem foram à reunião, fugiram da reunião”, finalizou.

4 Comentário On Ricardo lembra que deputados que hoje pregam rompimento lhe diziam que João não emplacava

  • Engraçado é ouvir dois deputados dizerem que a democracia foi quebrada no PSB. Um colocou um requerimento lá na assembleia para que a eleição da mesa tivesse voto secreto, fazendo com que existisse traições, como houve. O outro descumpriu o acordo de eleição casada, cresceu os olhos de cururu de pântano e praticou a política do próprio umbigo. E é esse povo que falam em democracia? Homi, vão procurar ninho de jumento que os ovos são grande!

  • ricardo esse deputado .ricardo tambem.e cunha lima puro.vc sabia disso e elegeu ele.cassio ta dando gargalhadas de todo tamanho.porque esperava que isso acontecesse.mas pode comprar o palitot novo pra assumir a prefeitura da capital em 2020.o povo de joao pessoa lhe conhece e ta com voce pro que der e vier.

  • Emmanoel do Nascimento Costa

    Venha para o RN faz tempo que não tamos um Governador .Ricardo Coutinho mudou a Paraíba para melhor.

  • Gostaria que Ricardo Coutinho viesse governar Pernambuco. Pq depois de Eduardo Campos não temos mais uma grande liderança.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste