Uma nota chinfrim para explicar o inexplicável

Uma conversa longa e comprometedora entre dois secretários municipais de João Pessoa está sendo tratada em nota divulgada por ambos como “conjecturas e análises genéricas.”

Imaginando sermos todos idiotas, Adalberto Fulgêncio e Diego Tavares querem transformar um diálogo que envolve empresas, dinheiro, valores, recursos e o próprio prefeito Luciano Cartaxo em algo sem importância.

O que o sr. Fulgêncio queria dizer quando afirma: “ESSAS EMPRESAS AQUI SÃO EMPRESAS QUE EU POSSO CHEGAR PARA O CARA, POR EXEMPLO, EU POSSO CHEGAR PRO CARA DA KAIRÓS E DIZER ‘THIAGO, QUERO 600 CONTO, VOU TE PAGAR ESSA PORRA AGORA, É SÉRIO, TEM UMA PARTE (INAUDÍVEL), QUE O QUE TAVA LÁ, EU POSSO ATÉ BOTAR AQUI DENTRO E VOCÊ VAI ME PASSAR POR FULANO DE TAL, CÊ TÁ ENTENDENDO?’. EU ACHO QUE ESSE, EU ACHO QUE A GENTE PODE FAZER ISSO, PORQUE EU NÃO TENHO COMO SER O OPERADOR, EU NÃO POSSO IR MAIS ALÉM DISSO, TÁ ENTENDENDO?”

E o também Secretário Diego Tavares, o que tratava quando afirmou: “DO VALOR, CERTO, SE FOR SÓ PRA PEGAR, EU RESOLVO. QUAL O DIA QUE O CABA VEM? EU VENHO TAL DIA. MEU AMIGO, NESSE DIA AQUI, CERTO, CADA UM COM UMA ESTRATÉGIA, VOCÊ NÃO PODE FAZER A MESMA ESTRATÉGIA. CADA UM TEM QUE TER UMA ESTRATÉGIA, CONCORDA? EU NÃO POSSO CHEGAR, ENTREGAR TODO MUNDO NO MESMO LOCAL E TAL.”

Por essas e outras que podem ser ouvidas no diálogo entre ambos, é que a nota que transcrevemos abaixo é de uma cara de pau sem tamanho:

NOTA

Os secretários municipais Adalberto Fulgêncio e Diego Tavares, Saúde e Desenvolvimento Social, respectivamente, a respeito de gravação de uma conversa entre ambos, divulgada por um portal de notícias da Capital, esclarecem o seguinte:

– o diálogo, segundo a própria notícia divulgada, teria ocorrido no início de março de 2018, soando estranho o fato de que somente agora, quase um ano depois, a gravação tenha sido divulgada;

– a conversa, na verdade, se trata apenas de conjecturas e análises genéricas sobre como ocorreria à futura campanha, além de preocupações a cautelas a serem observadas, não contendo nada que indique ação irregular

4 Comentário On Uma nota chinfrim para explicar o inexplicável

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles