Vergonha

Acreditando na palavra do gestor, que prega carinho e respeito à população, M procurou abrigo para seu avô doente no Trauminha de Mangabeira.

O carinho tão propalado, porém, ficou apenas na propaganda.

A moça passou meio dia tentando para conseguir internar o avô gravemente doente numa enfermaria suja e descuidada.

Tudo cheirava a desleixo, a abandono, a casa de noca.

As camas onde deitavam os doentes estavam enferrujadas.

E eles, os doentes, permaneciam deitados sem qualquer cobertor que lhe mitigassem o frio.

Ou lhe cobrissem a vergonha.

Quando precisou usar o banheiro, então, não conseguiu conter a expressão de horror.

O banheiro fedia, parecia privada de casa de jogo de azar.

Ou pior do que isso.

As imagens podem comprovar tudo isso.

Veja, leitor, como a realidade é uma coisa e a fantasia é outra.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

Mais comentadas