Cardivando merece respeito

Depois de tudo o que 1berto de Almeida disse sobre Cardivando de Oliveira, o que poderei dizer eu?

Apenas que lamento.

Nossa profissão é uma merda.

Os tempos de glória logo são esquecidos e profissionais de grandes qualidades são trocados por cuspidores de microfones, analfabetos e corruptos, que chegam ao desplante de pagar para ter espaço numa rádio e, assim, usar a profissão para ganhar dinheiro de forma inescrupulosa.

Não falo de todos. Os coleguinhas sabem onde ficam os endereços.

Quando eu comecei a trabalhar em jornal, há 43 anos atrás, Cardivando já era um nome na radiofonia paraibana.

Nos tempos da velha Arapuan AM, ele era, ao lado de Otinaldo Lourenço, Sílvio Carlos, Nalda de Abreu e outros que já nos deixaram, um apresentador que se ouvia com respeito e reverência.

Ao longo desses anos, já foi de tudo um pouco, apresentador da Festa das Neves, vereador por João Pessoa, desportista, torcedor fanático do Botafogo, mas tudo isso ficava em segundo plano quando se tratava de escolher o que ele dava mais valor: o microfone da emissora de rádio.

Cobri ao seu lado, eu foca e ele não, carnavais pelos bairros da cidade. Quando Cardivando chegava, não tinha Rei Momo ou cantor famoso que lhe ofuscasse o brilho.

Agora leio a nota de 1berto e tomo conhecimento da sacanagem que lhe fizeram.

Isso não pode prosperar.

Cardivando é intocável, imutável e imorrível.

Alguém tem que chamá-lo para uma emissora de rádio, entregar-lhe um microfone e um programa.

Isso tem que ser feito em respeito a ele e mais ainda aos seus ouvintes.

Que são milhares e que estão órfãos desde a última sexta-feira, quando quiseram obrigá-lo a referendar uma fraude.

6 Comentário On Cardivando merece respeito

  • Tião de Deus, dizer no quê ? Nada mais que as mal-escritas minhas foram lidas por quem eu esperava! Deus do céu! Cadê os amigos? Isso é sacanagem! Isso Tião de Deus, Cardivando merece!

  • Cardivando tem potencial para substituir o “Padre na TV Master. Ou então ser comentarista político no programa de Tony Show !!!!

  • Falta de respeito com a história de Cardivando no rádio paraibano.

  • Menos, JOSÉ, menos. O assunto é muito sério. Pelo jeito, a Sanhauá vai mesmo fechar. Não fará falta a nossa sociedade. Não oferece programas apresentados por radialistas que tenham alguma cultura. Ó programa de Cardivando (o nome é esse mesmo, Cardivando) é dirigido a meia dúzia de ouvintes, inclusive o locutor que vos fala. Ali, todo santo dia, desfilam verdadeiros agressores da gramática portuguesa. Alguns deles: Calififa, Everaldo, Henrique das Freiras, Francisco de Melo (o campeão) e tantos outros. É uma comédia e como tal, dá para rir muito. O apresentador se sente o rei da cocada preta, mas é incapaz de permanecer falando cinco minutos consecutivos ou mesmo emitir uma opinião. Fala um minuto e complementa com etc, etc e etc. Então, se o principal comunicador é desse naipe, não pode ter anunciantes. Por isso que a maioria dos horários é vendida, principalmente às igrejas evangélicas. É lamentável, mas é a pura verdade. Cardivando está trilhando o caminho do meu conterrâneo Zé de Adauto, o famoso Coroné Casé, ou seja AYRES DE OLIVEIRA. Esquecido e abandonado no Conjunto Valentina Figueiredo..

  • luciano vieira da silva

    Tião meus parabens por seu comentario a respeito do Cardivando grande radialista de um valor inigualável e de uma hora pra outra ser maltratado dessa forma Cardivando mereçe todos elogios possiveis espero que ele seja chamado para outra emissora e que continue fazendo o que mais gosta que é a comunicação.Luciano func.1.

  • Esse Tião parece que é 24! escolheu logo a minha foto pra botar no boiga dele.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles