Deputados de Campina Grande jogam cidade na sarjeta e botam dinheiro do Orçamento do Governo para outros Municípios onde foram votados | Blog do Tião Lucena

Deputados de Campina Grande jogam cidade na sarjeta e botam dinheiro do Orçamento do Governo para outros Municípios onde foram votados  

 

Marcos Maivado Marinho 

O que a população de Campina Grande já há alguns anos desconfiava, de que apesar do Município sempre contar numéricamente com as maiores bancadas parlamentares e disso não tirar o menor proveito, agora se concretiza com números coletados pelo investigativo jornalista João Paulo Medeiros, do blog PLENO PODER, que se hospeda no site do ‘Jornal da Paraíba’.

Segundo apurou João Paulo, deputados estaduais de Campina Grande zeraram as emendas impositivas para a cidade este ano. Ou seja: preferiram dar as costas e botar dinheiro do Orçamento do Estado em outras bases.

Relata o jornalista que no ano passado os deputados estaduais paraibanos criaram a figura das ‘Emendas Impositivas’, onde cada um deles tem à disposição, a partir deste ano, a indicação de R$ 1.132,000,00 no orçamento do Estado, podendo individualmente apresentarem até 15 emendas, que são destinadas via de regra aos Municípios que compõem as suas bases eleitorais.

No total, são mais de R$ 40 milhões em recursos, mas metade do montante precisa ser destinado à saúde.

O levantamento feito por João Paulo constatou, porém, algo difícil de compreender. Dos cinco deputados com base eleitoral em Campina Grande, ou que nasceram na cidade, quatro zeraram na destinação de emendas impositivas para a cidade e optaram por distribuir os recursos com outros municípios de suas bases, mesmo Campina sendo a segunda maior cidade do Estado e o segundo maior colégio eleitoral paraibano.

De acordo com o sistema SAPL, da Assembleia, os deputados Manoel Ludgério (PSD), Tovar Correia Lima (PSDB), Inácio Falcão (PC do B) e Ricardo Barbosa (PSB) não destinaram uma única emenda para Campina Grande.

A exceção ficou por conta do deputado Moacir Rodrigues (PSL), que apresentou três emendas pleiteando recursos para o município. “Pouco também, considerando que ele apresentou 15 emendas”, considera o jornalista.

O fato é prova robusta da “representação tímida de Campina” na Casa.

Pondera João Paulo que “esquecer” Campina é, no mínimo, um erro estratégico daqueles que são representantes da cidade.

DESTINO DAS EMENDAS

O deputado Manoel Ludgério, por exemplo, destinou recursos em emendas para as cidades de Caturité, Riachão do Bacamarte, Boqueirão, Juripiranga, São Domingos do Cariri, Barra de Santana e Natuba.

A maioria delas para a compra de carros para o transporte de pacientes.

Tovar Correia Lima utilizou as emendas para destinar recursos para Areia de Baraúnas, Várzea, Dona Inês, Amparo, Cruz do Espírito Santo, Piancó, Ouro Velho, Massaranduba, Fagundes, São Miguel de Taipu e Camalaú.

As emendas são para ações diversas na saúde e na infraestrutura das cidades.

Inácio Falcão, que foi candidato a prefeito de Campina Grande ano passado, destinou emendas para São João do Cariri, Junco, Zabelê, São José de Espinharas e Coremas. A maior parte delas para a reforma de unidades básicas de saúde.

Filho de Campina Grande e com base eleitoral em outras cidades, Ricardo Barbosa destinou recursos para Barra de São Miguel, Cruz do Espírito Santo, Lagoa de Dentro, Lucena, Rio Tinto, Caiçara, Duas Estradas, Gurjão, Itapororoca, Marcação, Prata e Serra da Raiz. As emendas foram divididas entre ações na saúde e a pavimentação de ruas.

JUSTIFICATIVAS

Ao blog de João Paulo o deputado Tovar Correia Lima explicou que as emendas impositivas deste ano têm um aporte de recursos ainda baixo. “Mesmo que eu colocasse para Campina Grande duzentos mil, trezentos mil reais, o volume de recursos é muito pequeno para a cidade de Campina. Não que a cidade não mereça e não precise, mas como esse ano foi com essa dificuldade toda e os maiores municípios receberam um volume de recursos do Governo Federal vultuoso, eu terminei priorizando os outros municípios menores”.

Já Manoel Ludgério considerou que “Romero havia com muita competência conseguido viabilizar no orçamento da União recursos públicos, em valores significativos para obras de pavimentação asfáltica e em paralelepípedos. Então naquele momento 160 mil reais seriam mais importantes para as cidades que têm como maior fonte de arrecadação o FPM, do que Campina que tem várias fontes de arrecadação e ainda tem direito à emenda federal de bancada; item que cidades menores não têm”.

O deputado Ricardo Barbosa, por sua vez, explicou que embora tenha nascido em Campina Grande mantém hoje outras bases políticas. “Minha atuação maior não é em Campina. Nós temos outras cidades que compõem a nossa base política e nessas cidades onde temos base foi que destinamos nossas emendas”, observou.

Inácio Falcão também foi procurado pelo jornalista para apresentar justificativa, mas não deu retorno às ligações.

2 Comentário On Deputados de Campina Grande jogam cidade na sarjeta e botam dinheiro do Orçamento do Governo para outros Municípios onde foram votados  

  • Olha pelo menos as emendas foram para a Paraíba.

    E o Bolsolão? Lá o Deputados Federais e Senadores compraram tratores superfaturados para cidades fora do estado de origem.

    Isso sim é um escandâ, foram 3 bilhões de reais roubados do povo brasileiro pelo governo Bozo.

  • Airton Calado- Campina Grande

    Po lá é mais fácil as negociatas, é bom seguir o emprego desse dinheiro, e o emprego total dos recursos, só tem essa explicação.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.