Portaria 666:*Gervásio propõe que Conselho Federal da OAB entre com ação de Inconstitucionalidade contra Moro por abuso de poder*

O deputado federal Gervásio Maia (PSB-PB), está propondo que o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, entre com ação de inconstitucionalidade contra o decreto 666, do ministro Sergio Moro, que pode vir a ser usado para deportar o jornalista Glenn Greenwald, editor do Intercept. A ADIN para invalidação da portaria 666/2019 seria, de acordo com o documento, por “Abuso de poder, ao dispor de forma flagrantemente inconstitucional sobre o impedimento do ingresso, a repatriação sumária de pessoas”.

Não é da competência de Moro nem do Ministério da Justiça legislar sobre esse tipo de matéria, é inconstitucional, pois entra em conflito com a lei federal”, destacou Gervásio.

O parlamentar disse ainda que a portaria “causa estranheza”, uma vez que ela surge logo após a publicação de conversas comprometedoras envolvendo Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, cuja divulgação tem por principal responsável o jornalista americano vencedor do Prêmio Pulitzer, Glenn Greenwald.
É, no mínimo, estranho essa portaria macabra, que permite deportação de estrangeiros. Sérgio Moro parece querer intimidar o jornalista Glenn, e para isso, atropela a liberdade de imprensa e o estado de direito”, lamentou o parlamentar.

A propositura será encaminhado ao Conselho Federal nesta segunda-feira (29).

1 Comentário On Portaria 666:*Gervásio propõe que Conselho Federal da OAB entre com ação de Inconstitucionalidade contra Moro por abuso de poder*

  • E o presidente da OAB Felipe Santa Cruz deveria acionar a justiça pela declaração do Bolsonaro
    a respeito do assassinato do pai dele durante o regime militar. Bolsonaro afirmou: ” Eu sei como o
    pai dele foi morto.”
    Bolsonaro é tão burro que não se deu conta de que com a sua delcaração dizendo que sabe como o pai do
    Felope Santa Cruz foi morto, ele, Bolsonaro, está admitindo o que ele próprio tem negado durante anos:
    assassinatos durante o regime militar.
    Isso até me fez lembrar daquela estória, publicada muitos anos atrás pela mídia, dos tais arquivos que teriam sido
    enviados para serem queimados, e que parte deles teriam sumido.
    Isso explicaria muuuuuuiiiiitas coisas!

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste