Revelada a trama: Presidente do TRF4 deu ordem por telefone à PF para manter Lula preso

Em entrevista à  jornalista Andreza Matais, o diretor-geral da Polí­cia Federal, Rogério Galloro, falou pela primeira vez sobre o episódio em que a ordem judicial para soltar o ex-presidente Lula, feita pelo desembargador Rogério Favretto, do TRF-4, foi descumprida. Segundo Galloro, partiu do presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores (foto), a determinação para descumprir o alvará de soltura. Thompson Flores alegou que havia um ‘conflito de competência’ entre Favretto e o desembargador Gebran Neto, o que era falso, porque apenas o desembargador de plantão tinha o poder de decisão naquela data. Segundo a revista Veja, Gebran disse ter ignorado a lei brasileira para manter Lula preso (saiba mais aqui).

Leia, abaixo, o trecho em que Galloro fala sobre a atuação de Thompson Flores no caso:

Em algum momento a PF pensou em soltar o ex-presidente?

Diante das divergências, decidimos fazer a nossa interpretação. Conclui­mos que irí­amos cumprir a decisão do plantonista do TRF-4. Falei para o ministro Raul Jungmann (Segurança Pública): ‘Ministro, nós vamos soltar’. Em seguida, a (procuradora-geral da República) Raquel Dodge me ligou e disse que estava protocolando no STJ (Superior Tribunal de Justiça) contra a soltura.

‘E agora?’ Depois foi o (presidente do TRF-4) Thompson (Flores) quem nos ligou. ‘Eu estou determinando, não soltem’. O telefonema dele veio antes de expirar uma hora. Valeu o telefonema.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste