Vai feder

Marcos Pires

Antônio Edilio é Procurador da República dos mais sérios e competentes que eu já conheci. E é daqueles que persegue a aplicação da lei e o bem-estar do povo na ponta da unha.

Dia desses ouvi uma entrevista dele numa emissora de rádio onde anunciava sua mais nova cruzada; acabar com aquela imundície que é o despejo de esgotos no mar do Manaíra. Vem em boa hora. Chega a ser vergonhoso o espetáculo daquele rio de dejetos que periodicamente é lançado ao mar no final da avenida Rui Carneiro. Fiquei curioso com a luta dele. Por solicitação minha, gentilmente Edilio remeteu-me uma copia do TAC que celebrou com o Município de João Pessoa, a Sudema, a Cagepa e a OAB.

Lá está previsto que todos os moradores do bairro terão que efetuar a ligação dos esgotos de suas casas à rede pública de saneamento que já existe. Coisa simples, fácil e barata. Coisa de gente educada. No entanto, com certeza alguns recalcitrantes não irão atender à determinação legal. Sabem o que vai acontecer? Pois bem, avisados leitores, a partir de abril o Município de João Pessoa será obrigado a concretar esses esgotos clandestinos.

O resultado é que fatalmente toda a produção de … como direi… matéria fecal, não vai poder escorrer para o mar. Voltará para dentro do imóvel onde foi produzida. O seu ao seu dono.

Eu fico imaginando a cena. Num domingo como o de hoje, a família reunida, de repente o genro vai usar o lavabo e quando aciona a descarga, jorra do vaso sanitário aquele vulcão de… disso aí que vocês estão pensando, sujando seu tênis novo até a meia. O mau cheiro rapidamente se espalha porque a onda que se segue ao “vulcão”, tal qual um tsunami, passa por baixo da porta do lavabo e rapidamente atinge o caríssimo tapete persa herdado da bisavó. A sogra levanta da mesa em pânico e começa a gritar com o genro, dando enfim vazão a todos os “elogios” que armazenara para fazer ao dissimulado “ quando ele mostrasse as garras para sua filha”.

E isso é apenas um exemplo, como direi, doméstico. A imposição também atinge imóveis comerciais. De repente os clientes de uma loja ou supermercado são brindados com uma onda fétida que jamais sairá de suas memorias. Adeus freguesia.

Portanto, precavidos leitores, avisem a seus conhecidos que estejam pendurados nesse verdadeiro pau de galinheiro para obedecerem a ordem.

E viva Dr. Edilio!

1 Comentário On  Vai feder

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste