A neta de Vital e a falta que ele faz

Imagina se o velho Vital do Rego ainda estivesse por aqui e fosse assistir a posse de sua neta na Câmara Municipal de Campina Grande.

Com certeza iria chorar.

Vital era emoção de corpo e alma.

Debaixo daquela capa de durão morava um coração chorão.

Eu, no curto espaço em que convivi com ele, pude vê-lo chorar várias vezes.

Era uma alma pura, um ser humano incomparável.

Pamela, sua neta, filha de Raquel, sua única filha, chega à Câmara para honrar a tradição política da família.

Afinal de contas, traz na biografia a herança de Vital e, mais pra trás, a do bisavô Pedro Gondim.

Sem contar os tios Vital e Veneziano, o primeiro ex-senador e atual ministro do TCU e o outro, senador eleito.

Mas eu lembrava do meu amigo de tantas saudades.

Eita Vital velho, como seria bom ver você chorar de alegria!

Até eu iria a Campina Grande só pra servir de testemunha.

Mas tem nada não. Você, de onde estiver, não ficará alheio a alegria dos seus herdeiros.

Comungará com eles, sob as bênçãos de Deus.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sliding Sidebar

Sobre Tião Lucena

Sobre Tião Lucena

Tião Lucena, nascido e criado no Sertão, é jornalista desde 1975, tendo começado em A União como repórter e trabalhado em O Norte, no Correio da Paraíba, no Jornal O Momento e no jornal de Agá.

Social Profiles

teste